Veteranos são guerreiros com sabedoria

AgriM© |19-04-2020

Retomamos uma das duas provas que presenciámos antes da pandemia e da paragem forçada de todas as atividades da modalidade, apenas como memória circunstancial e por interesse simbólico já que será uma prova que procuraremos acompanhar dando voz aos veteranos que de forma entusiasta continuam a dar o seu contributo ao judo como desporto intergeracional.


Foi no domingo dia 1 de março 2020 que se realizou, no Pavilhão Multiusos de Odivelas, o Campeonato Nacional de Veteranos . Na prova vi um dos judocas veteranos vencer o seu Mestre, veterano também, num dos combates bem disputados na minha zona frontal. Na realidade não os conhecia, nem a um nem a outro, mas captei o comentário do meu vizinho de bancada e fiquei a saber,

Não é situação rara, antes pelo contrário, ocorre de tempos a tempos. Pelas regras dominantes na sociedade na qual impera um forte sentido de competitividade e uma pseudo valorização do mérito, deveríamos assistir à natural substituição de um pelo outro. Aluno passaria a mestre e vice-versa- Mas no judo felizmente isto não é assim. O entendimento que existe é que os saberes esporádicos, a vitória pontual, o desempenho competente são apenas elementos de uma progressão constante.

O que é essencial é global e integradamente estar em processo de aprofundamento dos saberes. Chama-se a isso na modalidade “o percurso” ou numa linguagem mais mística “a via”. Quando falamos do judo como via flexível para a interpretação dos processos é também isto: andar à procura e admitir que uma vitória concreta, não significa ter encontrado.

A prova em si correu com o habitual frenesim e com boas conversas na zona das bancadas onde velhos amigos se reencontram, ano após ano, exprimindo satisfação por recentes recuperação de mazelas ou em contrário revelando que “uma lesão no último treino” impede a sua participação na competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *