Tobias or not Tobias

@JM|CR, 30 de maio 2020

O judo em casa, numa primeira fase, consistiu numa espécie de recurso de emergência para que as ligações entre atletas, treinadores e clubes não se perdessem. Os encontros entre judocas, os treinos e as diversas atividades da modalidade pesam demasiado na vida quotidiana de todos os praticantes para, de um momento para o outro, ficar apenas um vazio, uma ausência total de interações e de planos para o futuro.

As iniciativas emergiram como cogumelos, de norte e sul do país e as ligações foram rapidamente restabelecidas. Os recursos mobilizados foram os que estavam à mão: um computador, uma tablet, uma câmara, um telemóvel, um espaço exíguo para treino e uma vontade enorme de concretizar um objetivo de convergência absoluta: não vamos ficar parados, continuar a treinar!

Novos recursos

Numa segunda fase desta experiência partilhada por atletas, treinadores, clubes, pais e amigos a audácia começou a superar a mera transposição das situações de treino no dojo para as casas dos envolvidos. Começaram a surgir recursos inesperados para apoiar as aulas a distância e tornar os processos pedagógicos mais concretos, eficazes e eficientes.

Tobias de Leiria

Neste processo de credibilização das demonstrações e de aproximação entre protagonistas surgiu o TOBIAS. Melhor, surgiram Tobias por tudo o que é sítio no país. Mas este vai servir-nos de exemplo: o parceiro de treino em casa dos atletas do Grupo Desportivo St. Amaro – Judo que lançou a iniciativa “A minha casa – o meu dojo”.

©Imagem do GD St. Amaro

Tobias or not Tobias? Eis a questão que os dinamizadores das aulas a distância rapidamente resolveram. Uma produção artesanal, de fácil confeção caseira, com uma estrutura flexível, por vezes com suporte de pau de vassoura, noutras apenas com um recheio mais avantajado para treinar no chão, Tobias é antes de mais um auxiliar, uma base operacional para a concretização dos exercícios e das técnicas.

Mas Tobias também é um fazedor de ilusões um mágico com aspeto de espantalho à falta de um Mandrake de circunstância. Apesar da fraca figura Tobias tem um forte impacto nas crenças da comunidade judoca. Ele transmite em surdina a mensagem que todos querem ouvir: já falta pouco, os treinos vão retomar brevemente. Tobias torna real o que é apenas simulação. Tobias transforma~se involuntariamente num mediador imaginário de uma esperança coletiva: o desejo de regressar ao tapete, de abraçar os colegas, de cumprimentar os treinadores e de saudar os mestres com humildade e convicção.

Esperança e aprendizagem

Andam outros Tobias pelas casas dos judocas do país e da Europa e apesar das suas vozes serem apenas fruto da nossa imaginação, nós queremos que eles se exprimam porque para além da mensagem das expectativas a curto e médio prazo relacionadas com um regresso à normalidade na prática da modalidade, haverá a registar as aprendizagens associadas à utilização de cobaias na modalidade cuja tema está loge de ficar esgotado.

Robotobias

Imaginemos por exemplo que num futuro ainda mais tecnológico que o atual que os Tobias poderão incorporar inteligência artificial e constituirem uma base fundamental para treinos de correção de postura, de pegas e de muitas outras área de autogestão e auto-regulação do treino por parte dos atletas.

© Fotos do GD St. Amaro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *