Treinadores improvisam o futuro

@ Judo Magazine | 10 julho 2020 | Dossiê – Novos Territórios do Judo

No pátio, em casa, em espaços abertos, nas plataformas digitais, o judo experimenta novas formas de animação da prática da modalidade que requerem novas competências profissionais.

Nos Novos Territórios do Judo o tema dos treinadores é central. Que perfil terão os treinadores de judo no futuro? Como afirma Rui Veloso, o nosso convidado para desenvolver este tema, muitos foram os espaços e as abordagens que a pandemia de Covid-19 forçou em alternativa ao “treino no clube”. O Presidente da ANTJ – Associação Nacional de Treinadores de Judo levanta o véu e adianta algumas questões críticas que os treinadores de judo terão que enfrentar a curto e médio prazo. Vamos a elas.

@ Rui Veloso | ANTJ

O Judo, tal como outras modalidades desportivas, teve de se adaptar às circunstâncias dos tempos que vivemos. Todavia, face às suas características particulares, a modalidade reclama adaptações mais pesadas, ditadas pelo facto de exigir contacto físico e de funcionar em espaços fechados. No geral, os vários agentes do Judo souberam adaptar-se.

A necessidade e a vontade de manter a atividade e o contacto com os praticantes obrigou os treinadores e dirigentes a procurarem as soluções mais ajustadas aos problemas encontrados. Por seu lado, os praticantes foram respondendo positivamente à mudança. Todavia, não foi um processo fácil e nem todos terão tido sucesso.

Outros treinos, outras dinâmicas

O recurso às plataformas digitais, como meio para contactar com os praticantes (durante e após o confinamento), foi generalizado. Na impossibilidade de dar treinos no clube, em regime presencial, os treinadores recorreram, de forma sistemática, a alguns meios e métodos de treino, realizados em casa, no pátio, em espaços abertos, onde se destacam os seguintes: meios e métodos de preparação física geral (corrida, ciclismo, trabalho de musculação), treino funcional adaptado ao Judo, preparação física integrada aliando exercícios de desenvolvimento das capacidades físicas aos movimentos de judo, tandoku-renshu, recurso a formas jogadas e lúdicas para os mais pequeninos, entre outros.

Receitas é para a gastronomia

Os treinadores, pela experiência e capacidade que têm, envidaram esforços para resolver os seus problemas e os dos seus alunos. Só eles conhecem a sua realidade (e.g. características do seus alunos, encarregados de educação/pais e comunidade local). Isto significa que, a “receita” para um pode não ser a solução para outro. Tal como no treino, onde a natureza da carga determina a natureza da adaptação, também aqui o contexto singular de cada realidade determina a escolha de uma solução particular.

Pais, uma variável incontornável

O papel dos pais e encarregados de educação é fundamental. O seu grau de compromisso para com a atividade dos filhos é um fator fundamental. Por este motivo, os treinadores tiveram, também, de gerir esta variável…

O treino é possível

O Judo, tal como já referido, encerra um “problema” – o contacto físico… Esta circunstância determina que sejam salvaguardados os devidos cuidados no momento de treinar. Porém, se forem cumpridas todas as regras de segurança superiormente estabelecidas (gerais e particulares), poderemos, progressivamente, pensar na continuidade dos treinos, ainda que com as devidas adaptações. Estão aqui em causa as várias vertentes do judo (e.g. recreação, katas, defesa pessoal, competição). No que toca à vertente competitiva, os judocas da seleção já estão a treinar e, justamente por este motivo, se os judocas competidores (não selecionados) não iniciarem os seus treinos de judo, poderão ver dilatada a diferença de nível que os separa dos primeiros.

Novas soluções

Com circunstâncias adversas e num quadro singular, os treinadores podem e devem continuar a pensar em novas soluções de treino, para manter (ou elevar) a aptidão física e técnica dos seus praticantes, para que estes não percam a motivação e para que não “fujam”… Não se esqueçam de manter um estreito contacto com os pais, sobretudo os dos mais pequenos…

Continuar a formação

Quanto a Ações de Formação Contínua alusivas ao Judo, assistimos a algumas (boas) iniciativas online. Boas iniciativas serão sempre bem-vindas. Neste contexto, a Associação Nacional de Treinadores de Judo (ANTJ) alterou o seu Plano de Formação para o 1º semestre. Duas ações de carácter prático e de componente específica (Judo), já validadas, foram substituídas por ações que pudessem respeitar as regras de segurança dos participantes, a saber: “Treino Funcional em tempo de pandemia” e “Nutrição no Desporto”, ambas de componente geral. A ideia foi, não só continuar a promover formação (objeto social da ANTJ), mas também continuar a contactar diretamente com os associados. As receitas das ações mencionadas reverterão a favor de associados que, nesta difícil fase, perderam o seu rendimento.

© foto cedida por Rui Veloso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *