O treino, já não é o que era

@ Judo Magazine | 20 julho 2020 | DOSSIÊ – Novos Territórios do Judo | com Filipa Cavalleri

No princípio, era o treino. Numa analogia quase abusiva à criação do mundo do Génesis podemos recordar que a representação central de todo e qualquer judoca sobre a modalidade baseia-se no período quase mágico do treino no dojo. É por isso que o convite que Filipa Cavalleri nos faz para olharmos para a prática do judo nesta fase conturbada da pandemia de COVID19 é de uma riqueza que justificará uma abordagem aprofundada num futuro próximo. Aulas online, treino mental, nutrição, treino funcional, comunicação, iniciativas festivas e concursos temáticos, são alguns dos elementos deste universo temático e técnico que importa explorar. @CR-JM

Filipa Cavalleri – 6º Dan, Treinadora Grau III, Responsável pela Escola de Judo – A Turma dos Judokinhas e Sport União Sintrense.

Em Portugal, à semelhança da realidade mundial, a atual pandemia deixou o desporto de quarentena.

O Judo, em particular por ser um desporto de contacto físico e ser praticado num dojo, teve rapidamente de se reestruturar para fazer face aos desafios que se impunham. A minha experiência, bem como de toda a equipa de treinadores das nossas escolas, face a todas as vivências dos últimos 4 meses, consistiu em  dar uma resposta em tempo útil a todas as crianças judocas, aos atletas, pais e familiares. Uma resposta que fosse ao encontro daquilo que consideramos fundamental, de assegurar a continuidade a um serviço de qualidade, apesar de todos as limitações e constrangimentos.

Planeamento foi essencial

Fizemos de uma assoalhada da nossa casa, um pequeno dojo para que o ambiente à nossa volta fosse reconhecido por todos, apesar do isolamento social que se vivia e na mudança radical na vida de todos nós. E assim iniciámos as nossas aulas online por via ZOOM. Os grupos foram organizados por níveis e por professores, tendo sido traçado um plano que ao longo do tempo foi sofrendo alguns ajustes. O planeamento realizado, de acordo com o que era possível realizar, visou um conjunto de estratégias para conseguirmos manter não só os níveis de condição física e técnica num patamar mínimo, mas também as questões da saúde mental dos atletas e famílias.

Novas ferramentas

Aproveitámos, desta forma, este tempo para disponibilizar ferramentas que são utilizadas no nosso desporto, a par das aulas/ sessões de treino. Foram elas:

  • Treino Mental: convidámos uma especialista na área do coaching/ treino mental, que numa sessão que dinamizou incidiu as suas intervenções ao nível de conceitos básicos aplicados à psicologia do desporto, mas com trabalhos práticos, o que permitiu a todos os que nela participaram, vivenciar e experienciar a teoria que estava subjacente;
  • Nutrição: convidámos um especialista na área da nutrição, que numa primeira abordagem desenvolveu os conceitos básicos para uma alimentação/hidratação mais saudável para os desportistas.  Posteriormente foi dando exemplos práticos ligados ao judo tendo indicado a alimentação que se deve ter antes do controlo de peso, nos dias que antecedem a competição, ou seja em treino e quais os alimentos que os judocas devem ingerir após uma competição. Todos estas indicações de acordo com as especificidades da nossa modalidade, em termos de esforço e de recuperação mais eficaz;
  • Treino Funcional: convidámos um especialista e antigo judoca na área do treino funcional que ao longo das sessões demonstrou um conjunto de exercícios que todos os judocas devem realizar tanto no aquecimento como no retorno à calma, visando sempre uma melhoria dos grupos musculares que os judocas solicitam mais ao longo dos treinos;
  • Treino de Comunicação: enquanto treinadores, temos uma grande influência nos nossos judocas e familiares e foram muitos os momentos ao longo destes meses que considerámos a comunicação entre todos como fundamental para o equilíbrio das nossas organizações bem como para a manutenção dos níveis de motivação e confiança de todos;
  • Celebração de datas Festivas: como o Dia da Mãe, o Dia Mundial da Criança, todo o cerimonial para os mais novos passarem à nova graduação, foi determinante para fossem celebradas com os familiares momentos únicos e que de certa forma fomos resistindo a alguma rotina que pudesse vir a ser instalada;
  • Concurso à volta dos valores do Judo – A Ética: concursoque permitiu que todos os nossos alunos através de um desenho deixassem uma mensagem sobre o significado deste valor. Fez parte do júri, um representante dos atletas, dos pais, um treinador e um coordenador do projeto.

Cumplicidade e frustação

Ao longo dos meses, habituámo-nos a entrar por casa adentro dos nossos judocas e a fazermos parte do seu dia a dia. Tivemos momentos únicos, como aulas com netos judocas e avós, pais e filhos. Aulas entre irmãos fossem ou não judocas. Momentos com muita risada e cumplicidade e momentos em que sentíamos alguma frustração, pois faltava-nos o calor humano, o ruído das crianças, o abraço, o carinho, entre outras coisas que não conseguíamos fazer através do nosso computador. Estivemos até ao final de junho a desenvolver o nosso trabalho desta forma com os mais novos. E sentimo-nos vitoriosos, pois todos saímos mais resilientes!

No futebol de 11

Atualmente, iniciámos um trabalho presencial com os judocas mais novos e os atletas num campo de futebol 11 do Sport União Sintrense, respeitando todas as regras e recomendações da Federação Portuguesa de Judo e da DGS. Esta  iniciativa permite não só aumentar os índices de condição física e técnica, mas sobretudo, manter o foco em todos eles. Estamos simultaneamente a preparar o futuro para voltarmos ao tatami de forma segura, mantendo a confiança que todos sempre tiverem para connosco.

Vencer em equipa

Estou certa de que os momentos que vivi e os que certamente ainda vou viver, enquanto treinadora e com responsabilidade no judo, me vão obrigar a ser melhor profissional no presente e no futuro. Mantendo sempre um otimismo e confiança de que tudo vai voltar a ficar bem e que apesar de todos os obstáculos, vou sair vencedora. Tal pensamento só faz sentido, quando é partilhado em equipa e por um grupo de pessoas que estão à nossa volta e nos ajudam a iluminar o caminho. Entre elas Renato Kobayashi, porque “Juntos Somos Mais Fortes!”

© foto cedida Filipa Cavalleri – editada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *