CLUBE-RJ | Jovens repórteres do judo no Dia da Juventude

@ JUDO Magazine | Lançamento da Iniciativa | Dia Internacional da Juventude

No Dia Internacional da Juventude as seis fundadoras já assumidas do CLUBE e a JUDO Magazine lançam o CONVITE a todos os jovens judocas com paixão pela comunicação para serem membros ativos e serem Jovens Repórteres do Judo. Artigos, entrevistas, vídeos, fotografias, podcasts, sessões online, estas e outras potenciais atividades serão a base de um objetivo central: valorizar os mais jovens na comunicação da modalidade e DAR VOZ às suas ideias ,às suas emoções e às suas paixões. Até 28 de Outubro, Dia Mundial do Judo, decorrerá o processo de plena constituição do Clube que passa por envolver novos e novas fundadores e fundadoras e por outras atividades de auto-organização.

Revisitemos as produções já divulgadas das primeiras fundadoras

A Carolina e a Iara produzem Lives no Tatami de microfone na mão. Realizam entrevistas, não largam os entrevistos e as entrevistadas. Escrevem sobre o impacto da comunicação no judo. Os carrilhões de Mafra fazem-se ouvir ao longe. Carolina e Iara dão nova alma aos tatamis.

A Matilde escreve. Com o som dos operários marinhenses que sopram o vidro para o molde na memória coletiva e identitária que a envolve. Não é do seu tempo, mas é da sua génese. Matilde enche os pulmões e sopra o sentimento que a atravessa nestes tempos delicados. Escreve e volta a escrever.

A Ana Celina não lamenta, afirma que faz falta, o judo, os amigos e os treinos! Ponto final, parágrafo. Carrega na escrita com dose de ilhoa. Escreve para afirmar. Com ela é assim.

A Teresa traz a medalha ao peito. Não precisa de dizer nada. Mas diz e fala de paixão. Anda pelo Webinar de gente adulta, repleto de personalidades cujos nomes provocam pele de galinha, mas ela passeia, sorri e conquista a plateia. Teresa, uma voz que se faz ouvir.

Carlota fala de felicidade. Escreve. Gosta de ver a caneta dançar no papel. Às vezes não sabe se é ela que empurra a caneta pelos montes e vales que ela percorre para parir letras luminosas ou se é a caneta que puxa por ela para irem à aventura parágrafo após parágrafo. Vem, suplica a caneta vem Carlota porque a Ilha já não chega para nós. Vamos escrever sobre o judo que nos faz feliz.

Fundadoras do CLUBE-RJ Jovens Repórteres do Judo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *