RETOMA | O fundamental é não ficar de braços cruzados

JUDO Magazine | Com Bruno Figueiredo, Presidente da Direção do Judo Clube de Viseu

JM | 1-09-2020 | Os clubes organizam-se para uma retoma de atividades bem organizada e dando garantias que tudo está a ser preparado nos termos dos protocolos sanitários e desportivos estabelecidos. Mas às vezes surgem barreiras ou dificuldades que só a colaboração de várias entidades consegue ultrapassá-las em tempo útil.

É o caso do Judo Clube de Viseu que num abrir e fechar de olhos ficou sem sala para treinar. O Pavilhão Municipal do Fontelo passou a ser utilizado em favor de uma causa maior: servir de base logística para um hospital de campanha no âmbito do combate à pandemia de COVIF-19. Chegada a hora da retoma de atividades, no início de setembro, tudo se resolveu. O Município local atento a estas necessidades apoiou a resolução do problema. E agora, no JCV só se pensa no dia da reabertura dos treinos e da sua organização em novos moldes.

Bruno Figueiredo, Presidente da Direção do Juso Clube de Viseu, relembra-nos os acontecimentos e o desfecho positivo para o clube viseense.

“A paragem foi a 15/03 e desde então que não voltámos a treinar na nossa Sala de Judo, no Pavilhão Desportivo do Fontelo em Viseu. Nesse Pavilhão foi instalado um Hospital de Campanha, sob a responsabilidade da Proteção Civil e desde então não mais se realizou qualquer atividade desportiva .
Em conjunto com a Divisão de Desporto do Município de Viseu, fomos tentando perceber a possibilidade de serem retomados os treinos na Sala de Judo, visto não ter qualquer interferência na área adstrita ao Hospital de Campanha. 
Foi assim que recebemos o ok para o recomeçar dos treinos a 1 de Setembro, conforme tínhamos programado”.

Programa progressivo


“O Judo Clube de Viseu, em conformidade com as orientações 036/2020 acerca da COVID-19 da D.G.S., vai providenciar todos os mecanismos e cumprir com as normas orientadoras daí provenientes.
Vão iniciar os escalões de competição já esta 4ª feira, sendo que os escalões de formação, devido às restrições serem maiores e termos mais atletas, iniciam somente na 5ª feira. Os escalões não se vão cruzar, estão garantidas as condições de higienização dos tatamis e materiais entre treinos, bem como os materiais de higiene e proteção individual para os treinadores” adiantou o dirigente viseense.

Atividades adaptadas

Em conclusão “O clube irá igualmente proceder à comunicação de normas de procedimentos internos, de modo a que se consiga criar o máximo de condições de segurança para os atletas, treinadores e suas famílias.
Estas medidas estarão sempre sujeitas a alterações, conforme o estado e evolução deste problema a nível local e nacional, mas o fundamental nesta fase é não ficar de braços cruzados e esquecer todos os jovens que têm sido privados de fazerem o que mais gostam. Temos de lutar para que esta geração não se torne sedentária e com maus hábitos de saúde, porque apesar da gravidade da situação e os constrangimentos que daí advieram, há sempre um conjunto de atividades adaptadas e exercícios que podemos fazer”.

A sala de judo no Fontelo

© Fotos Judo Clube de Viseu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *