IG VESTE JUDOGI |Nós não fomos concebidas apenas para procriar

JUDO MAGAZINE | 29 de novembro 2020 | A IG Veste o Judogi | Igualdade de género no Judo

Bianca vai ao cerne da questão. Remete-nos para aquele momento, para aquela decisão que toda e qualquer mulher judoca que viveu uma situação de maternidade, tem que tomar em relação ao judo. Recomeçar ou tratar da vida, da lida da casa, do jantar, como ela nos recorda de forma tão veemente. Afinal a igualdade de género é muito mais que conversas e declarações. São decisões que corajosamente as mulheres, porque são mulheres, têm que tomar.

A minha opinião sobre a Igualdade de género no Judo

por Bianca Sousa

De facto, sinto-me verdadeiramente uma privilegiada no que diz que respeito ao Judo, em ser judoca, desde o primeiro dia em que pisei um tatami. Todavia, a verdade é uma: nunca fui treinada por uma mulher e tive poucas meninas para desenvolver o meu treino; sempre treinei com rapazes.

Hoje, falo como judoca e mãe de uma judoca de 12 aninhos. Tive que parar de praticar a modalidade, durante uns bons anos, em prol da maternidade. O mais fácil seria não recomeçar, tratar da vida, da lida da casa, do jantar, dormir a horas decentes. O tempo não chega, mas a verdade é que nós, as mulheres, temos a capacidade de recomeçar, de superar, de REGENERAR, fazer muita coisa ao mesmo tempo e sermos boas em todas elas. Nós não fomos concebidas apenas para procriar. Este é um privilégio que a natureza nos presenteou. Já pensaram porquê?!

Lado a lado podemos tirar o maior benefício de ambos os géneros

As mulheres, durante muitos anos, foram rotuladas como frágeis; ainda o são. O Judo ensina exatamente o contrário, a todos nós!

Eu acredito num treino misto, enriquecido por ambos os géneros, quer a nível técnico quer ao nível de atletas. O ser humano foi concebido para trabalhar em conjunto, lado a lado e tirar o maior benefício de ambos os géneros.

Imaginem um treino com 40 atletas masculinos. Agora imaginem um treino com 20 atletas femininos e 20 masculinos. Eu, neste momento, tenho um sorriso maravilhoso estampado no meu rosto!

 “…há no judo amor, beleza e prazer a

serem derivados da ascensão de

comportamentos (atitudes) graciosos,

desempenho harmonioso de movimentos

e no observar e apreciar estas

qualidades nos outros. Treinar estes

aspectos, em conjunto ao prazer

obtido em observar que estes movimentos

graciosos simbolizam diferentes

ideias, constituem o que chamamos

o lado emocional ou estético do judo.”

                                             Jigoro kano

Bianca Sousa, Treinadora, Associação 4Judo Project – Aveiro

Fotos © Bianca Sousa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *