DOHA 2021 | Fala-se português no Qatar

JUDO MAGAZINE | 10 de janeiro 2021 | Doha 2021

Na capital do Qatar fala-se português a partir de quatro cantos do mundo: de Portugal, como é óbvio, mas também de Angola, da Guiné-Bissau e do Brasil que estão presentes neste importante Master de Doha apresentando atletas de alto nível mundial. Também os visitámos, antes da contenda que tem início amanhã com as categorias de peso mais leves.

Taciana Lima César é uma judoca do mundo. Ostenta no seu judogi de competidora, com orgulho, a bandeira da Guiné-Bissau. Mas a sua relação com a modalidade que, como afirma, “é um desporto maravilhoso que eu amo” é muito mais vasta e a sua interação com outros países, como é o caso de Portugal e do Brasil, leva-a a competir de forma aberta e a lutar “por medalhas e estar feliz, por fazer o que eu amo”.

Guiné-Bissau

Taciana vai enfrentar, no seu primeiro combate, a polaca Agata Perenc. Perguntámos-lhe se a conhecia e como se estava a preparar para a prova. A campeão africana afirmou ” Lutei com ela no Grand Slam de Brasília. Depois de entrar a ganhar no combate, com um wazari, acabei por perder já que ela conseguiu dois wazaris. Foi um combate muito equilibrado”.

Confirmámos que a atleta olímpica que participou no Rio 16 tem na sua mira os Jogos de Tóquio e os seus planos para Doha 2021 têm no horizonte uma participação nas olimpíadas da capital nipónica.

Brasil

A “Armada do Brasil” conta com 18 judocas sendo 12 competidores homens e 6 atletas mulheres. Em -60kg e em +100kg a seleção brasileira é representada por 3 atletas em cada categoria o que representa um forte investimento daquele país sul-americano nesta prova do Golfo Pérsico. Takabatake, Kitada e Pelim em -60kg e Buzacarini, Rafael Silva e Moura em +100kg são acompanhados por Cargnin e Lima em -66kg, por Eduardo Barbosa em -73kg, por Eduardo Santos em -81kg, porRafael Macedo em -90kg e por Leonardo Gonçalves em -100kg. A composição da seleção feminina é também fortíssima com Larissa Pimenta em -52kg que esteve no Open de Odivelas, com Ketleyn Quadros e Alexia Castilhos em -60kg, Maria Portela em -70kg a atual campeã panamericana da categoria e duas atletas na categoria mais pesada de +78kg, Maria Suelen Altheman e Beatriz Sousa.

Angola

Mucungui Diassonema, atleta com 24 anos e larga experiência internacional, representa Angola na categoria de -57kg. É a atual campeã africana da sua categoria e conquistou várias medalhas de bronze em torneios internacionais africanos. A sua primeira adversária será Kim da República da Coreia.

Foto de destaque Taciana e Mucungui Diassonema em DOHA, Qatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *