CLUBES | Os Célios que o judo tem

JUDO MAGAZINE | 7 de fevereiro | Iniciativas dos clubes | SU Sintrense – Turma dos Judokinhas

É possível abordar alguns assuntos tradicionalmente tratados na base de um discurso mainstream de forma diferente e potencialmente com resultados mais positivos. Esta demonstração emerge da iniciativa do Sport União Sintrense – Turma dos Judokinhas levada a efeito ontem dia 6 de fevereiro que teve por foco temático Célio Dias o atleta olímpico que teve a frontalidade de revelar publicamente a sua relação com uma doença mental.


Foram várias dezenas os participantes, principalmente do universo do judo, que se ligaram ao ZOOM para ser parte ativa de um encontro online dinamizado pela super energética e empática Cecília Carmo. Filipa Cavalleri e Renato Kobayashi foram os pivôs da sessão mas a conversa foi principalmente polarizada pelo próprio Célio Dias.

Os heróis

No discurso dos heróis, nesse paradigma de pacificação e de compensação da condição humana vulgar, os atletas olímpicos não têm problemas de maior. São heróis dos nossos tempos. São as referências que os “eternos prescritores” da modelação social, da imitação, do “exemplo a seguir” usam para tonar útil a sua função de vulgarizadores da heroicidade como modelo para o desenvolvimento pessoal e social.

Percursos

Mas Célio Dias não vai a jogo. E declara exatamente o inverso. Cada um tem as suas convicções e até obsessões no plano desportivo e delas retira força para atingir os seus objetivos. Mas. sim há um mas, todos nos relacionamos de forma nua e crua com desempenhos menos extraordinários e somos chamados a reapropriar-nos de uma condição não-linear própria dos percursos erráticos.

Aqui está a lição. A consciência do percurso em detrimento do endeusamento da meta. Uma coisa simples porque, humana.

À suivre…

Voltaremos a ter notícias desta área temática porque pudemos constatar que os participantes na sessão teriam muito para debater e aprofundar a partir das suas experiências e dos tópicos que o próprio Célio Dias forneceu para olharmos para o futuro.

Carlos Ribeiro, 7 de fevereiro 2021, presente na sessão a convite do SU Sintrense – Turma dos Judokinhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *