CLUBES | Fazer do Domus o nosso Dojo

JUDO MAGAZINE | 12 de fevereiro 2021 | CLUBES | Judo Clube de Portimão

A “Batalha dos Clubes” trava-se em várias frentes. A mais evidente e incontornável é a da adaptação às novas condições logísticas e técnicas para praticar a modalidade. Mas existem outras frentes que precisam de ser consideradas prioritárias e até decisivas para uma campanha coletiva de sucesso. O Judo Clube de Portimão introduz aqui o tema da comunicação a partir de ume reflexão sobre o seu logótipo e vale a pena acompanhar a reflexão e as ideias-força que dela resultaram. CR | Judo Magazine

por Joaquim Baptista, em nome do Judo Clube de Portimão

A adaptação ao contexto actual e a imposição da alteração das relações individuais e, consequentemente, nas interações clube/atleta, leva-nos a múltiplas reflexões, passando também pela forma como é realizada a comunicação tanto internamente como externamente.

A imagem institucional

Cientes da importância da redução dos contactos e de um «fique em casa» renovado (agora mais pesado para a mente, após uma fase de vislumbre de melhores tempos, de renovadas esperanças) o clube refletiu igualmente no seu logótipo, na sua imagem institucional e na sua mensagem, essa mudança, esse apelo a todos e a cada um de nós.

A necessidade de um Ethos efectivo, capaz de reflectir em si e nos outros, os valores do Judo, como preconizaria Julian B. Rotter; um Locus interno forte, autocontrolado que tenha a capacidade de fazer a tal mudança, um impacto endógeno e exógeno esteve cerne desta recriação.

Mahatma Gandhi

Recuperando na memória as palavras de Mahatma Gandhi «Sê a mudança que queres ver no mundo» continuaremos a fazer do Domus o nosso Dojo para que em breve todos possamos voltar ao sítio onde verdadeiramente queremos estar.

Como aconselharam em 31AC os generais de Marco António antes da Batalha do Accio perante a possibilidade de uma derrota:«Ego judoka, manere domi» Vá lá malta, é mais simples do que parece:

Sou Judoca, fico em casa

A adaptação do Logo é da autoria do Delfim Martins, treinador do Judo Clube de Portimão e arquitecto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *