Lisboa 2021 | Telma, explosão no ritmo de Sísifo

JUDO MAGAZINE | Campeonatos da Europa de Judo Seniores | Lisboa 2021

Telma Monteiro conquistou a medalha de ouro nos Europeus de Lisboa 2021 e João Crisóstomo arrecadou o bronze na sua categoria de peso. Ambos os atletas atribuíram à jornada inaugural da prova-rainha da União Europeia de Judo um sabor a vitória que o judo nacional ainda está a saborear.

Limites

O que faz que Telma ultrapasse todos os limites do imaginável em matéria de resultados e de formas de estar e combater? Teremos que admitir que as diversas explicações que vão emergindo daqui e dali acabam por não nos satisfazer totalmente. Há uma espécie de “telmismo” que pressentimos e que incorporamos ao vivo quando assistimos de coração nas mãos aos combates da campeã.

Em que consiste exatamente? Não sabemos muito bem, mas é um misto de confiança, de fatalidade vencida, de esperança, de receio optimista, de eficácia e eficiência distribuídas em espiral. No fundo, como na vitória de hoje na final, contra a jovem eslovena Kaja Kajzer, é o surgimento de uma explosão no meio de um ritmo persistente e continuado, mais próximo dos trabalhos de Sísifo do que dos ágeis deslocamentos de um boxeur.

Diversidade de ingredientes

Quando Telma mete mãos ao elástico que segura o cabelo para o apanhar e ajustar, sentimos que está a desenhar os passos seguintes da sua ação. Quando regressa à posição que a cor do judogi lhe impõe, ou à esquerda ou à direito do árbitro ou da árbitra, acompanhamos a avaliação que está a fazer da situação de combate ocorrida no momento anterior. Quando levanta a cabeça e olha de forma mais direta para a sua adversária temos noção que está a captar o estado de espírito da sua opositora. O que faz Telma com todos estes e outros ingredientes? A resposta é simples: faz vitórias que, contrariamente ao que alguns afirmam de forma reducionista, não é só esforço e trabalho. É muito mais do que isso para desilusão dos comportamentalistas que elegem os aspetos motivacionais como os centrais no êxito da campeã.

O que nos indica mais esta vitória de Telma Monteiro é antes de mais a necessidade de aprendermos e de compreendermos como a referência incontornável em desporto, mas também na vida em sociedade, que são os limites podem ser encarados na sua soberana complexidade.

Crisóstomo, o ágil

Por sua vez João Crisóstomo, que teve que enfrentar um atleta bielorusso que apresentou um judo muito similar ao seu, acabou por triunfar através de uma boa gestão do combate e daquilo que tudo indica ser um trunfo seu, a agilidade. Crisóstomo teve ainda a capacidade de manter um ritmo elevado na condução da contenda e fez bom uso do ashi-waza que sempre incomodou o seu opositor.

Uma medalha de bronze conquistada que é sobretudo o resultado de uma grande regularidade no percurso realizado ao longo do dia.

Os restantes atletas da seleção continuam a batalha da pontuação para os Jogos Olímpicos estando ainda ao alcance daqueles e daquelas que não tiveram o êxito desejado nestes Europeus de Lisboa.

Fotos © Rui Telmo Romão UEJ/FPJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *