Iniciativa online sensibiliza para as questões da saúde mental no alto rendimento

PROJETOS E INICIATIVAS | Kobayashi Running Challenge, 18 de julho 2021

Uma iniciativa denominada Kobayashi Running Challenge vai atacar um record do Guinness com o lema mobilizador TOCA A CORRER E CAMINHAR S e JUNTOS vamos desenvolver conhecimentos sobre saúde mental (Let´s Run & Jog Together and learn about mental health). O objetivo é realizar a maior corrida online de sempre, envolvendo participantes dos cinco continentes, para sensibilizar para as questões da saúde mental relacionadas com a prática desportiva e em particular com os percursos dos atletas de alto rendimento.

A realização dos Jogos Olímpicos em Tóquio e a intenção da Cruz Vermelha de criar uma Rede Nacional de Apoio à saúde mental no desporto tornam a iniciativa particularmente oportuna. Foi nesta medida que a Coordenadora Nacional de Saúde Mental e Apoio Psicossocial da Cruz Vermelha Portuguesa, Inês Carolina Ribeiro nos adiantou algumas ideias-chave sobre o tema. Editado Carlos Ribeiro

SAÚDE MENTAL E ATLETAS DE ALTO RENDIMENTO

por Inês Ribeiro

Portugal é o segundo país com a mais elevada prevalência de doenças psiquiátricas da Europa (cerca de 23,1%.). Sendo que as mais comuns são a perturbações de ansiedade (16,5%) seguidas das perturbações de humor (7,9%). Contudo nos últimos anos assiste-se a um aumento significativo de respostas neste campo, ainda que longe do ideal. É neste contexto que a Cruz Vermelha Portuguesa tem desenvolvido várias respostas e ações, que visam promover a saúde mental e resiliência das comunidades.

A alta performance necessita que as necessidades básicas estejam garantidas, ou seja, o bem- estar e equilíbrio emocional. Mas a alta performance implica uma dedicação exclusiva e pressão constante.

Atletas com sofrimento psicológico

O percurso dos atletas é marcado  pela crescente competitividade o que implica um elevado desgaste físico e mental.  As expectativas (suas e dos outros), lesões, stress e momentos críticos na carreira podem comprometer a autoimagem, a perceção de competência e até o rendimento do atleta  e  contribuir  para  o  aparecimento  de  sofrimento  psicológico  e  perturbações  de  saúde mental.

O facto de muitos atletas se dedicarem exclusivamente ao desporto e a “oportunidades únicas” (como participar nos Jogos Olímpicos) implica uma elevada dedicação e investimento, deixando para trás áreas da vida que contribuem para nossa saúde mental positiva (e.g. relações familiares e de amizade, hobbies, etc).

Ocultar e ignorar os sintomas

O stress competitivo, ansiedade ou depressão marcam a realidade do dia-a-dia da alta competição, mas importa também refletir sobre as perturbações que podem emergir no final da carreira desportiva ou na sequência de uma lesão incapacitante. É importante trabalhar a transição do atleta a essa nova realidade.

O  contexto  desportivo  de  alto  rendimento  implica  que  os  atletas  tenham  que  ser  figuras  de excelência, um pilar da saúde e bem-estar. Assumir que se tem uma doença mental é assumir uma fraqueza, como se fosse uma escolha, por isso que muitas vezes os atletas optam por ocultar e ignorar  sintomas  e  reações  que  acabam  por  confluir  em  problemas  de  saúde  mental  mais complexos.

Um apoio mais efetivo

Por vezes é difícil para o próprio atleta perceber que alguma coisa poderá não estar bem, se por um lado é fácil perceber o impacto de uma lesão física, não é assim tão simples perceber uma  perturbação  de  ansiedade  ou  humor.  É  por  isso  importante  sensibilizar  a  comunidade desportiva para uma maior aceitação de perturbações de saúde mental.

O percurso para diminuir o estigma associado à doença mental no desporto já começa a ser feito, como podemos ver em muitos atletas que assumem publicamente, mas o apoio a estes atletas ainda parece estar longe do ideal e é por essa razão que a Cruz Vermelha aceitou ser parceira deste desafio, na medida em se pretende sensibilizar as pessoas e eventuais mecenas para a criação de uma resposta de retaguarda no âmbito da saúde mental e apoio psicológico a atletas.

Inês Carolina Ribeiro | Coordenadora Nacional de Saúde Mental e Apoio Psicossocial – CVP

O EVENTO DIA 18 DE JULHO ÀS 12H00 (hora em Portugal)

O apelo de Renato Santos Kobayashi para que a participação seja muito elevada é o seguinte:

Inscreve-te no Kobayashi Running Challenge para quebrar o Guinness World Record de maior corrida / caminhada online do mundo, no dia 18 de julho às 12h00 (Portugal time) e alertar para a importância da SAÚDE MENTAL em
[https://kobayashirunninchallenge.eventbrite.de]
Contamos contigo, inscreve te e participa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *