2000, Sydney

VÊM AÍ OS JOGOS | Sydney 2000

Para muitos o ano 2000 foi principalmente o ano terminal do milénio iniciado em 1001. Para os judocas portugueses foi o ano da medalha de bronze de Nuno Delgado nos Jogos Olímpicos de Sydney.

A medalha de Nuno Delgado

Sydney para o judo português, para além da explosão de alegria, foi a atribuição informal das credenciais de desporto nacional de importância maior. Nuno Delgado abriu o caminho das medalhas olímpicas que se viria a repetir com Telma Monteiro no Rio de Janeiro. Lançou a semente e confirmou: sim! é possível chegar ao pódio na prova suprema do desporto global.

Nuno Delgado

Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos

O judoca do Sport Algés e Dafundo foi ultrapassando os seus adversários, Thierry Vatrican foi o primeiro a ser eliminado, por ippon, logo seguido pelo italiano Francesco Lepre, desta feita por decisão. No caminho para a meia final, Delgado derrotou mais dois oponentes por ippon, o australiano Daniel Quelly e o iraniano Kazem Sarikhani. Apenas o sul-coreano Cho-In-Chul (3º classificado nos Jogos Olímpicos de 1996) derrotou Nuno Delgado, por uma pequena vantagem de yuko, conseguida logo no início do combate, e que dessa forma impediu o atleta português de disputar a medalha de ouro olímpica. A conquista do histórico bronze aconteceu frente ao uruguaio Alvaro Paseyro, num combate que durou pouco tempo. Depois de conseguir um koka de vantagem nos primeiros segundos do duelo de atribuição da medalha de bronze, rapidamente conseguiu imobilizar o vice-campeão sul-americano e vencer por ippon. Era a primeira medalha da delegação portuguesa em Sydney, à qual se juntaria a medalha de bronze de Fernanda Ribeiro na prova dos 10000 metros.

O Judo em Sydney

Sydney 2000: 

  • Sandra Godinho / ACM Coimbra 
  • Filipa Cavalleri / Judo Clube de Portugal 
  • Pedro Soares / Sport Algés e Dafundo 
  • Nuno Delgado / Sport Algés e Dafundo 
  • Michel Almeida / Clube Naval do Funchal 
  • Pedro Caravana / Sport Algés e Dafundo 

Sandra Godinho adianta-nos a sua avaliação da participação nos Jogos Olímpicos de Sidney

Na primeira, Barcelona, não tinha maturidade mas tinha a loucura da juventude

A minha participação nos Jogos Olímpicos de Sidney 2000, teve um sabor agridoce, primeiro porque vinha de três operações seguidas aos joelhos e sabia que seriam os meus últimos Jogos. Queria dar tudo o que tinha para que ficasse na minha memória uma boa prestação. A participação em Barcelona 1992, tinha apenas 19 anos e a maturidade não foi o suficiente para aproveitar tudo ao segundo. Foram duas participações realmente inesquecíveis, cada uma de maneira diferente. A primeira não tinha maturidade mas tinha a loucura da juventude para me jogar de cabeça para todos os desafios e uma capacidade física para aguentar vários treinos diários. Na segunda participação, em 2000, já não aguentava tantos treinos mas tinha a sabedoria toda para ultrapassar obstáculos com muita “cabeça”.

O que mais me marcou na presença em Olimpíadas foi o espírito de companheirismo que se cria em torno da participação, desde os atletas, treinadores, dirigentes e chefes de missão.

A possibilidade de conviver na Aldeia Olímpica com os grandes atletas de todo o mundo é algo que fica para uma vida inteira de boa memória apesar do resultado desportivo não ter sido o ambicionado, que é uma grande deceção para quem dá tudo para ter o melhor resultado do ciclo Olímpico.

Reportagem do Jornal – O Record

SURPREENDENTE. Sandra Godinho é a primeira judoca portuguesa a ”carimbar” o passaporte para os Jogos Olímpicos de Sydney 2000, ao classificar-se, quinta-feira, no sétimo lugar da categoria de menos 78 kg, na primeira jornada do Campeonato do Mundo, que decorre, até domingo, em Birmingham.

”Estou satisfeita, porque apostei tudo nos mínimos para os Jogos Olímpicos e consegui. Agora, vou relaxar um pouco, pois passei as férias a treinar. Espero que o meu clube receba mais apoios do Estado”, considerou a atleta da Associação Cristã da Mocidade (Torres Novas).

Apesar de não ser uma das judocas mais cotadas da selecção nacional, Sandra Godinho realizou uma prova irrepreensível, superando os dois primeiros combates, ante a representante do Cazaquistão (Massyagina) e da Venezuela (Marianela), por ”ippon” e ”wasari”, respectivamente.

”Senti-me muito bem fisicamente e soube fazer valer a minha experiência. Gostava de ter conseguido uma medalha, mas o principal objectivo foi alcançado”, adiantou Sandra Godinho.

A judoca ribatejana foi travada ao terceiro combate pela chinesa Yuifeng Yin, que a bateu por ”ippon”. Mas, nas repescagens, voltou a ”facturar”, conseguindo derrubar a campeã olímpica de Barcelona e segunda classificada no ”ranking” europeu, a italiana Emanuelle Pierantozzi (”decisão”).

No último combate, Sandra Godinho voltou a equilibrar, mas socumbiu, também, por ”decisão” ante a cubana Diadenis Luna, que defendia o título de vice-campeã mundial, conquistado em 1997.

No entanto, o sétimo lugar representa o apuramento para as Olimpíadas do próximo ano, colocando Sandra Godinho no Projecto Sydney: ”Ao garantir a qualificação para Sydney, espero que a Tutela me integre no respectivo projecto de preparação olímpica, pois, até ao momento, tenho contado só comigo”. Na categoria, a japonesa Noriko Anno conservou o título mundial (78 kg), ao bater, na final, a chinesa, ”carrasca” da lusitana. A francesa Céline Lebrun e a cubana ”dividiram” os terceiros lugares.

A polaca Maksymov (+ 78 kg), e os japoneses Shinoara (+ 100 kg) e Inoue (100 kg) conquistaram o ouro nas respectivas categorias.

Alexandre Reis (Record)”

RESULTADOS SYDNEY

Até à 13ª posição . Informação disponível do COI

SYDNEY 2000JUDO 66 73KG LIGHTWEIGHT MEN RESULTS

  • Ouro ITA Giuseppe Maddaloni
  • Prata BRA Tiago Camilo
  • Bronze BLR Anatoly Laryukov
  • Bronze LAT Vsevolods Zelonijs
  • =7 POR Michel Almeida

SYDNEY 2000JUDO 73 81KG HALFMIDDLEWEIGHT MEN RESULTS

  • Ouro JPN Makoto Takimoto
  • Prata KOR In-Cheol Jo
  • Bronze EST Aleksei Budolin
  • Bronze POR Nuno Delgado

SYDNEY 2000JUDO 90 100KG HALFHEAVYWEIGHT MEN RESULTS

  • Ouro JPN Kosei Inoue
  • Prata CAN Nicolas Gill
  • Bronze FRA Stephane Traineau
  • Bronze RUS Yury Styopkin

=13 POR Pedro Soares

Fonte | COI – Tóquio 2020 | Fotos cedidas por Sandra Godinho. Video e imagem Nuno Delgado RTP | Editado por Carlos Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *