À espera de Joana

CAMPEONATO DO MUNDO JUNIORES | OLBIA -Itália

A Europa dominou o dia inicial do Mundial de Juniores em Itália e conquistou todos os títulos em disputa nas categorias de peso mais leves da modalidade. Claro que um Campeonato do Mundo que não conta com a presença do país mais representativo e claramente dominador nas provas mundiais como é o Japão fica fragilizado na sua representatividade e certamente não ficará para a história.

Estão em cena atletas juniores que dentro de pouco tempo serão as referências dos seus países nas provas internacionais. Os lugares no pódio nesta prova, para alguns destes atletas, não serão meramente circunstanciais e voltaremos a vê-los a mostrar as medalhas conquistadas nas futuras competições do World Judo Tour.

Portugueses no Mundial

Na primeira jornada do Mundial de Juniores os resultados mostraram uma real capacidade competitiva dos jovens judocas lusos mas ficaram aquém de algumas legítimas expectativas tendo em conta desempenhos anteriores em competições de nível tão elevado quanto este. Mas cada prova é uma prova e as condições de participação nunca são as mesmas. Por exemplo o fato de Raquel Brito ter competido lesionada e ainda estar a ser acompanhada em fisioterapia não justifica todas as dificuldades que demonstrou em ultrapassar atletas do seu nível, mas esclarecem que a atleta não estava a cem por cento das suas capacidades.

Bernardo Tralhão acabou por ser uma boa surpresa nesta sua participação na categoria de -60kg, tendo vencido dois combates e cedido apenas perante um atleta com grande poder de ataque e concretização o georgiano Shatirishvili.

Hoje Teresa Trindade a única representante do judo nacional na prova, atleta que tem vindo a afirmar-se na sua categoria de peso, venceu o seu primeiro combate e esteve bem no segundo contra Gertsch, uma atleta suíça, que acabou por neutralizar o wazari da portuguesa e marcar ippon com uma imobilização.

Joana Crisóstomo na derradeira jornada

Amanhã a derradeira jornada do Mundial contará com a participação de Rodrigo Boavida em -90kg e de Joana Crisóstomo em -70kg e a expectativa natural de um resultado de exceção recai sobre a judoca da Judo Lusófona que tem marcado presença nos lugares cimeiros a nível europeu.

A Federação Portuguesa de Judo resumiu de forma pormenorizada o percurso dos atletas portugueses na primeira jornada nos seguintes termos:

Raquel Brito (-48 kg) estreou-se com uma vitória sobre a belga Jente Verstraeten (vencedora do Festival Olímpico da Juventude 2017) por ‘ippon’, em período de ‘ponto de ouro’. Nos oitavos-de-final, enfrentou Anastasiia Balaban (Prata no Festival Olímpico da Juventude e Campeonato da Europa de Cadetes de 2019). Após um confronto equilibrado em que ambas pontuaram, foi necessário recorrer ao ‘golden score’. Após mais 5 minutos de combate, foi a búlgara a alcançar o ‘ippon’. Com este resultado, Raquel Brito termina no 9º lugar.

Na categoria -52 kg, Teresa Santos começou a sua prestação na segunda ronda, onde eliminou Kundyz Zhylkybay (Vice-Campeã Asiática de Cadetes em 2018) do Cazaquistão, em período de ‘ponto de ouro’, por acumulação de ‘shidos’. No combate seguinte, cedeu perante a atual Vice-campeã Europeia de Cadetes, Giulia Carna, de Itália, com um ‘ippon’ pontuado a 6 segundos do final. Desta forma, Teresa Santos encerra a sua caminhada na 9ª posição.

Bernardo Tralhão (-60 kg) eliminou o indiano Jatin Jatin no seu combate inaugural, alcançando o ‘ippon’ após imobilização do atleta asiático. Somou o segundo triunfo ao derrotar o turco Emirhan Karahan (Vice-campeão Europeu de Cadetes em 2018) por ‘wazari’. Nos oitavos-de-final, não conseguiu ultrapassar o georgiano Shakro Shatirishvili (Bronze na Taça da Europa Udine 2021), sofrendo o ‘ippon’ antes do primeiro minuto do combate. Com este resultado, Bernardo Tralhão conclui a sua prestação no 9º lugar.

Na categoria -66 kg, Miguel Gago superiorizou-se a Sultan Zhenishbekov, do Quirguistão, no seu primeiro encontro, pontuando um ‘wazari’ em período de ‘ponto de ouro’. Na ronda seguinte, apesar de ter pontuado ‘wazari’, não conseguiu ultrapassar o atual Campeão Panamericano de Juniores, Matheus Pereira, do Brasil, que alcançou o ‘ippon’ a 30 segundos do final do confronto.

André Diogo (-66 kg) cedeu no seu primeiro combate, por ‘ippon’, contra o russo Abrek Naguchev (Campeão Mundial de Cadetes em 2019).

Fotos © FIJ Mayorova Marina e Gabi Juan

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *