Bárbara est revenue

PARIS GRAND SLAM 2021 | 16 de outubro 2021

O público. Sim, o público nas bancadas foi a grande brisa que circulou por Bercy. As vozes a romperem o silêncio, os gritos de apoio vindos dos vários quadrantes, o incentivo depois de uma fase menos boa do combate, o chamamento ao ataque e à luta para vencer, tanto ruído, tanta explosão que, verdade seja dita, faziam falta. Bercy foi berço de uma nova era. E o fato do torneio ter sido pensado numa lógica de “os franceses e os outros”, os aficionados desculpam porque recuperaram hoje o seu desporto favorito, a sua modalidade de coração.

E que melhor razão para fazer a festa com este regresso à normalidade nos recintos desportivos que a conquista de uma medalha de ouro no Grand Slam de Paris por uma atleta da seleção nacional. Bárbara Timo desceu de categoria de peso mas subiu de nível competitivo. O ciclo mais recente da atleta que foi vice-campeã do mundo tinha sido marcado por grandes dificuldades e a participação nos Jogos Olímpicos foi o culminar dessa dinâmica descendente.

Bárbara e Brel

Mas Bárbara está de volta. E como o Jacques Brel cantava na canção “Matilde est revenue” Bougnat apporte-nous du vin Celui des noces et des festins Mathilde m’est revenue hoje é ela que está no centro da alegrai do judo nacional e que precisamos de enaltecer e valorizar.

Uma final muito difícil, com a opositora britânica a pressionar permanentemente e a impedir o judo agressivo de Bárbara Tino, uma situação de judo no chão que exigiu uma grande tenacidade e até flexibilidade da parte da Bárbara para escapar ao controlo da sua adversária e finalmente uma entrada com sucesso que foi premiado por wazari já em período de Golden Score e por isso definitivo quanto à pontuação final do combate.

Japoneses dominam a primeira jornada

Com quatro medalhas de ouro e uma de prata os nipónicos estão numa primeira posição incontestável e numa performance inversa verifica-se uma presença muito forte dos franceses nos lugares do pódio com 3 medalhas de prata e 6 de bronze, sem no entanto terem conseguido subir ao primeiro degrau e terem conquistado uma medalha de ouro até à data. Portugal surge no 3º lugar dos países participantes graças à medalha de ouro de Bárbara Timo e ao 5º lugar de Catarina Costa.

Fotos IJF @ Grand Slam de Paris 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *