Camões nos Veteranos

VETERANOS Lisboa 2021 | NOTAS DO PAVILHÃO Nº1

Depois da entrega das medalhas vêm as memórias construídas. No caso aquelas que resultam das fotos tiradas no palco gigante do pavilhão onde desfilaram momentos antes portadores orgulhosos de ouro, prata e bronze. Fotos com colegas, com amigos e amigas, com bandeira, sem bandeira, com sorriso gigante ou com pose de vencedor. Os disparos não têm conta, são selfies, são de mãos alheias, são fotos …para mais tarde recordar.

Cristian aproxima-se e Joana Ramos olha de soslaio, percebe que vai ser interpelada. Cristian avança e ousa fazer o pedido que, no meio daquela tempestade fotográfica ao seu redor, aparenta ser uma solicitação para mais uma fotografia no meio de tantas outras: na verdade trata-se de uma foto especial, com uma atleta olímpica agora membro da Equipa Técnica Nacional do FPJ.

PALOP, acrónimo mágico

O brasileiro da Bahia não contava com o efeito íman de atletas como Joana, que são acarinhadas por todos os praticantes da modalidade e foi-lhe impossível controlar a adesão de terceiros à exposição que ele pretendia mais individualizada.

A palavra-chave para formalizar a situação veio do último aderente espontâneo que invocou, como angolano, a condição de membro dos PALOP, para se instalar.

A aceitação foi total: angolanos, brasileiros e portugueses juntos, com o judo a unir os continentes através de um auxiliar precioso: a língua de Camões.

Foto © JM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *