Um, dois e três, já cá estou outra vez!

EUROPEU SUB 23 | Budapeste 6 de novembro 2021

Foram três combates para arrebatar um título que lhe faltava no currículo de atleta do topo mundial. Patrícia Sampaio é Campeã da Europa de SUB 23 na categoria de peso de -78kg e concretiza o que adiantou à Judo Magazine antes da ida para Budapeste: vou para ganhar, mas o mais importante é sentir-me bem a competir. E como ela se sentiu bem. Mais do que bem, com um à vontade e uma segurança absoluta e quase surpreendente.

A final prometia. A adversária da atleta tomarense, a croata Pavic, tinha eliminado a espanhola Perez-Gomes na meia-final anterior por wazari e tinha mostrado grande segurança ao longo dos 4 minutos de combate.

Final com desfecho rápido

Patrícia deu pouca margem à adversária dos Balcãs. O combate durou 1 minuto e dezoito segundos e teve desfecho logo a seguir a uma fase de preparação, visando a destabilização da oponente que, nos combates anteriores, tinha feito valer o seu poder físico. Trabalhando, depois da pega forte, com o-uchi-gari, sasae-tsuri-komi-ashi, makikomi, combinações o-uchi/ko-uchi e finalmente sode-tsuri-komi-goshi no momento certo e oportuno que deu aso a imobilização, depois de pontuar.

O que se retira desta abordagem marcada pela liderança tática e por um ritmo que teve um grande impacto na sua adversária é que Patrícia não está só recuperada fisicamente. Ela está a ter um regresso com um judo mais diversificado, e eventualmente mais maduro, que leva a prever uma temporada de excelente qualidade nas futuras provas internacionais.

Europeu de Budapeste

O Europeu Sub 23 contou com um judo praticado de boa qualidade mas com um nível de participação em algumas categorias aquém do desejável.

Da parte da seleção as principais desilusões vêm de Joana Crisóstomo que conduziu pessimamente o seu primeiro combate, que aliás acabou por perder e de Manuel Rodrigues que depois de ultrapassar com grande convicção o seu primeiro opositor não conseguiu dar o salto para um outro estatuto que está à vista vai ter que acontecer. Ainda não foi desta mas o potencial de Manuel Rodrigues é de fato enorme.

Raquel Brito que arrasta uma lesão que a impede de ser a competidora sem hesitações que conhecemos está a acumular algumas experiências menos positivas que também revelam a necessidade de diversificar o seu judo, principalmente à esquerda, e alargar o campo de atuação tática que, por exemplo, hoje Patrícia Sampaio demonstrou. A atleta algesina tem a estima de tantos judocas que o desejo principal é vê-la progredir e associar às suas qualidade de caráter, as competências de competidora amadurecida.

Fotos © Rui Telmo Romão e Anna Zelonija | UEJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *