Cartão branco foi a maior vitória do encontro

ÉTICA NO DESPORTO | Notícia do Correio da Beira Serra

Jovem futebolista do FC Oliveira do Hospital premiado com cartão branco por atitude louvável em campo.

Enquanto que o título é nossa opção, o subtítulo é do Correio da Beira Serra que queremos homenagear desta forma pela notícia publicada sobre o cartão branco exibido em Oliveira do Hospital na semana passada.

O protagonista da situação foi Roberto, um jogador dos infantis (sub-13). Mas o departamento de formação do Futebol Clube Oliveira de Hospital clarificou que a atitude louvável do jovem futebolista não foi por acaso. Na Equipa existe uma orientação coletiva no sentido “formar jogadores com valores sociais e humanos que lhes permitam desenvolver-se como indivíduos completos, equilibrados e responsáveis” como escreveu o Correio.

Branco pode ser em todas as modalidades

Recorda o jornal beirão que “o cartão branco constitui um recurso que visa enaltecer condutas eticamente correctas, praticadas por atletas, treinadores, dirigentes, público e outros agentes desportivos” .

Imaginemos um judoca que vai iniciar um combate. O seu adversário tarda a aparecer junto da área de competição. Algum problema terá surgido. Vai ser desclassificado e o judoca que aguarda vai inevitavelmente vencer. Finalmente aparece o segundo que o informa ter-se esquecido do judogi azul e consequentemente não poder combater.

O judoca olha para ele, levanta o seu saco desportivo e diz-lhe: “veste o meu, rápido. temos a mesma estatura“. Nunca o segundo competidor vestiu um judogi tão rápido. A árbitra abriu os braços. Deu ordem para avançarem. Os competidores dirigem-se para o centro do tapete e saúdam-se mutuamente.

Mas, em vez do HAJIME habitual a juíza dirige-se ao judoca do seu lado direito e com as devidas distâncias tira do seu bolso um Cartão Branco que exibe bem alto na direção do judoca equipado de branco. O ´publico levanta-se e aplaude demoradamente, e então, no centro do tapete ouve-se uma voz forte e decidida: HAJIME! O judo pode continuar.

Chuto para o lado

O caso no futebol aconteceu durante a recepção da formação oliveirense ao Clube Operário Jardim do Alva. Relata ao Correio da Beira Serra “O acontecimento que deu origem àquele reconhecimento de mérito surgiu quando o árbitro assinalou uma grande penalidade a favor do FC Oliveira do Hospital. A jogada, porém, deixou o guarda-redes adversário magoado. Chamado a converter o castigo, o jogador Roberto optou por não rematar à baliza. Chutou a bola para o lado e fez seguir o jogo. Um acto de “fair-play” que não passou despercebido ao árbitro que chamou o jovem atleta e exibiu-lhe o “cartão branco”.

Para o departamento de formação “este cartão branco foi a maior vitória do encontro, bem como o facto de o guarda-redes adversário estar bem e ter sido apenas um problema momentâneo”.

Com recurso à excelente notícia do Correio da Beira Serra. Foto © Correio da Beira Serra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *