Judo Magazine | Os atletas de topo, no nosso 2021

2021 | Judo Magazine

JORGE FONSECA

Bronze com ouro dentro

Fonseca, bronze olímpico e bicampeão do mundo, é um atleta que Neil Adams considera um paradigma do competidor explosivo.

Quando noticiámos as vitórias de Jorge Fonseca sentimos sempre que eram fracos os termos utilizados. Palavras Insuficientes e limitadas. A nossa dificuldade foi responder ao desafio de meter chama em algo que, por si só, já é explosivo.

Titulámos Bronze com ouro dentro, porque sabemos que Jorge Fonseca ofereceu a sua primeira medalha europeia a Teresa Santos na Marinha Grande. Só o bronze está à vista, mas o ouro está lá!


TELMA MONTEIRO

Telma esteve este ano mais uma vez ao mais alto nível nas provas internacionais e nós procurámos organizar em formato de GLOSSÁRIO as expressões que os seus fãs utilizam para valorizar os seus desempenhos inesquecíveis.

Tell me ou o glossário criativo dos fãs de Telma Monteiro


Joana Ramos

Uma atleta, agora treinadora nacional, com uma abordagem holística e humanista

Joana Ramos

Quando entrevistámos Joana Ramos, antes dos Jogos Olímpicos, ela adiantou-nos “Agora sim estou em condições para participar nesta entrevista”, uma honestidade e uma sinceridade notórias. Joana teve a coragem de partilhar as suas incertezas. Uma atitude ao invés das regras impostas aos atletas super-heróis, que não devem revelar as suas fraquezas. Mas Joana está bem longe desse conceito marquetizado e assume-se primeiro como pessoa e logo de seguida como atleta porque a sua vida está vinculada ao judo de forma incontornável.

Vídeo com entrevista a Joana Ramos


Patrícia Sampaio

Um, dois e três, já cá estou outra vez!

Foi com enorme satisfação que noticiámos a conquista do título de Campeã Europeia de sub 23 pela Patrícia Sampaio. Tínhamos entrevistado a atleta na véspera da viagem para Budapeste e ela afirmou-nos “Estou recuperada e o mais importante será sentir-me bem a competir”.

Patrícia Sampaio

Partilhámos com a Ana Madureira da ADJ de Santarém uma entrevista aos irmãos Sampaio. Foi uma interação muito especial, cheia de aprendizagens, e titulámos a peça

IRMÃOS CORAGEM

“Nos Irmãos Coragem o João encontrou um enorme diamante em Coroado. Não é aqui o caso. Nem o protagonista que aqui se chama Igor, nem a localidade que é Tomar. Mas o diamante é real. Enorme e de valor inestimável. Chama-se Patrícia Sampaioin Judo Magazine


Catarina Costa

O que nos diz o exemplo de Catarina?

Diz-nos que é possível ser uma super-campeã de forma integral. Que se pode ser uma atleta extraordinária, uma estudante de sucesso e um ser humano de qualidades únicas e por todos apreciadas.

Catarina responde sempre às nossas solicitações. E pede desculpa pelo atraso na resposta. Ficamos sensibilizados. Na nossa atividade de jornalistas sabemos que nem todos têm essa postura. As medalhas criam, em alguns casos, uma espécie delírio egocêntrico. Mas Catarina sorri e diz coisas complexas de forma simples. Gostamos. No último artigo que publicámos sobre ela, nos Jogos Olímpicos, juntámos a atleta da AAC a Yunos, o banqueiro dos pobres. Se os heróis existem, que sejam assim!


BÁRBARA TIMO

Bárbara est revenue

Quando todos pensavam que a atleta do Benfica tinha entrado em processo de declínio acelerado, retirando ilações precipitadas dos desempenhos menos felizes de uma fase pós-lesão sempre muito complicada, Bárbara reorganizou-se e assumiu presença numa categoria de peso inferior à sua. Aliás num terreno onde o judo nacional feminino estava desguarnecido (-63kg).

E Paris projetou a sua luz sobre uma Bárbara renascida e vitoriosa.


ANRI EGUTIDZE

Anri, no pódio do mundo

ANRI EGUTIDZE CONQUISTA MEDALHA DE BRONZE NOS MUDIAIS DE BUDAPESTE (-81KGS).

Para muitos tratou-se de uma surpresa total e de um resultado incrível. Para alguns, terá sido apenas e só um desfecho vitorioso em coerência com uma progressão que apontava nesse sentido.

Mas não há dúvida que o sentimento de uma certa injustiça, patente nos resultados anteriores de Anri, desapareceu. Justiça tinha sido feita com esta subida ao pódio no Mundial de Budapeste 2021.


JOANA CRISÓSTOMO

Joana de luxo, de bronze ao peito

Joana recebe-nos sempre com gentileza. Começa por dizer que tem pouco … para dizer. Mas as palavras contrariam-na. Há sempre nela uma abordagem contengencial e não alinha no discurso habitual, do tipo estou bem e vou para ganhar. Joana age de forma ponderada até um certo ponto, um pouco como no tatami, ataca pelo seguro, mas ataca forte. Faz o nosso estilo.


RAQUEL BRITO

Brito salvou a honra do convento

Raquel Brito é um valor seguro do judo de competição. Leva as coisas a sério. Às vezes duvidamos se não leva, a sério de mais. Imagens vindas de Algés revelam que ela também sorri e ficamos mais descansados. Na Croácia ainda em 2020, foi uma das Pérolas de POREC e na Taça da Europa de Judo – Juniores Coimbra 2021, conquistou o bronze em -48kg.


ROCHELE NUNES

Rochele, não é justo perder assim

Nós ouvimos, como muitos outros, a voz do desalento à saída da área de competição em Tóquio depois de perder um combate de gigantes.

“O combate contra a campeã cubana Idalys Ortiz, número um do ranking mundial, esteve à beira de um desfecho positivo para a atleta luso-brasileira mas acabou por ter um volte-face por via de um ataque de última recurso da cubana que teve sucesso, atendendo à eficácia da sua técnica de projeção” in Judo Magazine.

Antes da ida para Tóquio Rochele conversou connosco, com a sua amabilidade e boa disposição habituais, e percebemos que vale a pena dar voz a mensagens otimistas sem cair no exagero das promessas inexequíveis. O que revela o processo de preparação para Tóquio é antes de mais um grande reforço do sentido do coletivo. Rochele falou das hipóteses de medalhas para todos. Um sinal e uma marca dos atletas e dos treinadores da seleção nacional.


BERNARDO TRALHÃO

O que eu mais gosto é de competir

Bernardo foi repescado para ingressar na comitiva que esteve em Itália no Mundial de Juniores de Ólbia (Sardenha). Mas arranjou tempo para responder às nossas perguntas e revelar os seus sentimentos face à convocatória e à prova propriamente dita. Esta disponibilidade para interagir connosco constitui um sinal positivo que registámos já que a exposição pública de objetivos é sempre algo de complicado para os atletas

Mas o jovem atleta de Coimbra foi categórico “Tenho como objectivo disputar por uma classificação e acabar o dia a saber que dei tudo A música com que gostaria de fazer festa seria a “Portuguesa* e a festa seria em 1º lugar no pódio”.

De alguma forma Bernardo representa aqui os seus colegas de seleção como Teresa Trindade, Miguel Gago, André Diogo e Rodrigo Boavida que se lançam com espírito vencedor para os holofotes do judo mundial.


© Fotos da UEJ, dos atletas citados e da JM.


Please follow and like us:
error
fb-share-icon

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.