GRAND PRIX ALMADA | REPORTAGEM Judo Magazine. No rescaldo do Grand Prix

O GRAND PRIX DE PORTUGAL, realizado em Almada nos dias 28, 29 e 30 de janeiro de 2022, teve resultados desportivos assinaláveis e globalmente pode ser considerado um grande êxito do judo nacional.

O sucesso é sempre repartido como sabemos e no caso para além dos atletas e da Federação Internacional de Judo importa assinalar a organização da prova que esteve a cargo da Federação Portuguesa de Judo.

JORGES

O dia do santo guerreiro, o tal que na Capadócia salvou uma mulher de um dragão e levou ao batismo de milhares de pessoas em consequência do feito, é no 23 de abril. Dia de S. Jorge. Pois que passe para dia 30 de janeiro que foi data de conquista plural, dos Jorges do judo nacional, de um lugar único na plataforma global do judo internacional. Jorge Fonseca no ippon, Jorge Fernandes na liderança atacaram o dragão e Portugal passou a ser um grande David entre os Golias da modalidade.

Um trabalho em equipa

Organizar um evento com este calibre é obra. São campos diversos que vão da logística às relações públicas e de permeio muitas parcerias e formas diversas de cooperação. Neste plano dois nomes são incontornáveis: Catarina Rodrigues, diretora de provas da União Europeia de Judo e da FPJ e Ivo Rosa organizador dos eventos desportivos da federação.

Também localmente foram parte ativa da organização da prova o clube local de judo Judo Clube do Pragal liderado por Nelson Trindade e os serviços da Câmara Municipal de Almada que asseguram a gestão e manutenção do pavilhão desportivo.

Os postais do evento

Tendo em conta a elevada diversidade de áreas e temas que integram a organização do evento pretendemos assinalar pequenos apontamentos de mera circunstância para dar nota do quadro complexo que esteve presente neste memorável Grand Prix, único no judo nacional e de importância maior para o desporto e para a afirmação de Portugal no mundo.

POSTAL 1 | Uma voz no mundo

O lançamento do evento, aquando da realização do sorteio que é realizado na véspera do arranque da prova, surge como uma operação de comunicação com impacto em todo o mundo. No caso 41 países tinham atletas inscritos, podemos admitir que no mínimo cada um deles seguiu a cerimónia de abertura que contou com a presença de Jorge Fernandes (FPJ), Filipe Pacheco (Vereador do desporto da Câmara Municipal de Almada) e de outras individualidades do judo internacional.

POSTAL 2 | Um pavilhão vestido de gala

O cenário que é criado para uma prova de judo de alto nível incorpora elementos decorativos e logísticos que preenchem globalmente toda a zona de varredura visual. Trata-se de uma maquilhagem de grande dimensão que vale a pena revisitar.

POSTAL 3 | Apoio médico e de emergência

Um dos elementos-chave da organização de uma prova desportiva consiste na segurança e na capacidade de resposta em termos de emergência médica. Equipa médica e bombeiros são essenciais numa competição de um desporto de combate.

POSTAL 4 | Comunicação – Media

O grande show tem projeção pública através dos media. No caso do Grand Prix estiveram presentes as televisões, os serviços de comunicação e streaming da FPJ, os jornais desportivos e claro a Judo Magazine que discretamente observou este grande palco de emoções.

POSTA 5 | A Mixed Zone

Nesta área de transição entre a área de competição e os balneários foi possível contactar com atletas e treinadores e também observar as atitudes pós-combate de atletas que venceram, mas também daqueles que foram vencidos. Alguns atletas, como foi o caso de Catarina Costa e de Joana Diogo não se preocuparam só com os seus desempenhos. Ficaram atentas aos combates de colegas da seleção e reagiram em conformidade (com a presença de Ana Hormigo, treinadora nacional). Bonito de se ver, claro!

Denisa Grécu entrevistada pela Sport TV na Mixed Zona

POSTAL 6 | Os treinadores e as treinadoras

Desempenham um papel fundamental no apoio aos atletas e às atletas e estão ali, lado a lado. São o terreno seguro para os competidores que se encontram em situação de carga máxima em termos competitivos e emocionais.

A arte dos treinadores não é despejar indicações para dentro do tatami. O seu contributo não consiste principalmente em comunicar ao atleta ou à atleta o que ele ou ela fariam. O seu engenho estará em ler o combate com os olhos do atleta e completar esse olhar adicionando algo que vai ao encontro da construção que o atleta está a realizar. A arte de ser outro, mantendo-se ele mesmo. Uma arte exigente que implica um distanciamento de si próprio difícil de executar.

Lucie Decosse | Treinadora Nacional frncesa

POSTAL 7 | As parcerias

Envolver jovens em formação na área do desporto neste tipo de eventos representa uma mais-valia para os estudantes e simultaneamente uma aproximação da modalidade a segmentos jovens da população.

No caso o Curso de Desporto no Agrupamento de Escolas da Amadora Oeste que colaborou com o evento tendo proporcionado uma base de experiência para alunos como a Maria, a Jessica, o Guilherme e muitos outros.

Alunas do Curso de desporto do AE Amadora Poente no apoio ao evento.

POSTAL 8 | As áreas especializadas

Necessariamente um evento com estas características obriga à delimitação de setores e de espaços que estão intrinsecamente ligados à função competitiva da prova. Neste caso registámos a presença do controlo Anti-doping como um dos elementos estruturais do desporto de alta competição.

POSTA 9 | Uma situação dissonante

Registámos com algum desagrado uma situação que no judo até tem tido referências elogiosas nos últimos tempos, ao ponto de ter sido objeto de um prémio na Gala Da IJF em dezembro, que remete para os atletas lesionados durante a competição e a forma como estão estabelecidas as regras para serem cuidados independentemente dos impactos soit-disant negativos em termos de imagem e de transmissão desportiva pelos media. Referimo-nos à situação de Kainan Pires que saiu lesionado do seu combate com Vieru e que teve que se arrastar até à saída do tapete de forma pouco humana e injustificada à luz dos códigos de ética da prática desportiva.

POSTAL 10 | O público, sim O PÚBLICO

Protagonista maior do Grand Prix o público nas bancadas indicou de forma clara ao mundo inteiro que acompanha o judo com paixão, uma mensagem forte e clara “We love judo”.

Fotos Judo Magazine | Reportagem Carlos Ribeiro

Please follow and like us:
error
fb-share-icon

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.