O milagre da cooperação

12 de novembro, 2022

Copa de Espanha, VIII Troféu Ibérico de Katas

Cooperar afinal pode ser relativamente fácil. Trata-se antes de mais de um estado de espírito que encontra fundamento na sua relação virtuosa com o competir. Nada melhor que fomentar iniciativas nas quais a competição está presente para cimentar processos dinâmicos de cooperação. No fundo trata-se de impulsionar processos de inteligência coletiva que encontram energia na mais elementar regra do desporto que consiste em incentivar ações orientadas para a superação e a autorealização.

A Copa de Espanha – Troféu Ibérico de Katas, que se realizou hoje em Cáceres num ambiente de grande entusiasmo desportivo, constituiu mais um pretexto para os Presidentes da Federação Estremenha de Judo, da Federação Ocidental de França (Ligue Occitanie de Judo, Jujitsu, kendo e DA) e da Associação de Judo do Distrito de Santarém reforçarem os seus laços de cooperação e estabelecerem objetivos comuns para os clubes e atletas das respetivas instituições.

Debater as ideias políticas

Para Frank OPITZ, Presidente da agremiação regional francesa “o Troféu Ibérico constitui uma realização de continuidade de um projeto de judo baseado na partilha e na troca de experiências. Depois do Estágio de Albi esta iniciativa vem reforçar o nosso sentido de cooperação, ou seja, competimos entre nós, mas acima de tudo cooperamos em bases positivas”.

O dirigente do judo da Região gaulesa da Ocitânia, estrutura que foi fundada em 2016 em resultado da fusão das regiões do Midi-Pyrénées e do Languedoc-Roussillon e que conta com 550 clubes e 45.000 praticantes, insiste que a cooperação deve basear-se em ideias “Podemos não ter as mesmas ideias, isso até é positivo, mas debatemos e logo de seguida concretizamos projetos. Devemos até assumir o debate das ideias políticas que favorecem o desenvolvimento da modalidade. Claro que existem temas como a gestão das Licenças que podem servir para esclarecer pontos de vista, mas o mais importante é partilharmos experiências sobre o desenvolvimento do judo nos territórios. Não é só o judo de competição que deve preocupar os dirigentes. Os veteranos, os mais jovens não-competidores, o judo de manutenção são áreas que podemos ampliar. Veja-se a importância do JUDO SAÙDE nos nossos dias e as prioridades que as famílias dão a práticas desportivas saudáveis”.

Provas que pontuam a nível internacional

Por sua vez o dirigente da Federação Estremenha de Judo e Disciplinas Associadas, Mangas Velo, que preside à entidade que acolheu os seus pares franceses e portugueses e que organizou o Troféu Ibérico, os esforços de promoção da modalidade devem intensificar-se “porque o judo é um desporto minoritária, tem que ser muito mais divulgado. E no seio da própria modalidade as katas também precisam de ser valorizadas. É fundamental para o judo elevar esta vertente mais tradicional, que liga os praticantes às origens, ao mais alto nível”.

Nesta abordagem focada na cooperação com França e Portugal o Presidente da FEJDA relembrou que estas provas, enquadradas na Copa de Espanha, permitem pontuações para os objetivos dos atletas a nível internacional o que representa uma autêntica mais-valia para todos.

Uma história de amor

“Esta é história de amor. Somos irmãos que não se olham de frente. Estamos muitas vezes de costas voltados uns para os outros. O judo pode contribuir para uma melhor interação entre portugueses e espanhóis porque há muito para fazer em conjunto. Não só no desporto, mas também no turismo, nas atividades industriais e comerciais. Os Presidentes de Câmara dos dois lados da fronteira desejam que essa cooperação aconteça e nós temos que agir!” assim enfatizou o dirigente estremenho a necessidade de uma cooperação mais forte que precisa de ser alimentada e reforçada.

O Troféu terminou com um bom balanço para os atletas portugueses “Katame no kata medalha de ouro para Associação de Marinheiros e em Kime no Kata arrecadam o 4°Lugar com podiuns junto aos vice campeões mundiais par francês” como noticiou Manuel Francisquinho

O Presidente da Associação de Judo do Distrito de Santarém, António Pedroso Leal, considerou que a prova de katas tinha sido um autêntico sucesso, pelo número de participantes e ainda pelo ambiente que se viveu no pavilhão desportivo e deu nota que a cooperação que está a decorrer com França e Espanha vai ter continuidade com iniciativas regulares entre as federações e associações envolvidas.

Please follow and like us:
error
fb-share-icon

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.