Associação de Setúbal fora do Grand Prix de Almada

Dirigentes e treinadores da Margem Sul estão a prever que se avizinha um período difícil para o judo

©adjs

Nos momentos de crise e de alguma tensão, que implicam tomadas de posição e até algum comprometimento com opiniões e ideias sobre o futuro, nada melhor que promover o encontro dos dinamizadores da modalidade de forma relativamente informal e sem as implicações institucionais das Assembleias Gerais. Esta foi a estratégia seguida pela Associação Distrital de Judo de Setúbal que reuniu os treinadores num encontro informal ontem à noite em Almada e criou as condições para um debate alargado sobre as diversas questões que se colocam ao judo no distrito e a nível nacional.

Renato Morais, Presidente da ADJS, que esteve presente na sessão organizada por Nelson Trindade, Diretor Técnico associativo, informou os participantes sobre matérias diversas e aproveitou para clarificar que a associação não irá ter qualquer papel no Grand Prix de Almada que está agendado para finais de janeiro.

Ou seja a Federação Portuguesa de Judo não irá proceder como na primeira edição da prova almadense, que foi considerada um êxito organizativo, não se repetindo assim o espírito voluntário e entusiástico de dezenas de judocas da região que se envolveram nas diversas tarefas que a organização de uma competição de topo internacional coloca.

A disputa pré-eleitoral

Tudo indica que estas clivagens estarão associadas ao processo de contagem “de espingardas” que já começou há uns tempos e que se terá acelerado com a formalização da candidatura de José Mário Cachada à presidência da FPJ.

A Associação de Setúbal que está a prever um período difícil para o judo nacional e distrital decidiu tomar medidas de reforço da atividade e de até de planear um forte reforço nas receitas próprias que precaverão eventuais falhas nesse domínio. Para os treinadores e dirigentes do judo distrital o mais importante é dar continuidade ao trabalho que anda a ser feito “Não podemos parar! Não é possível deixar de ter em conta as nossas responsabilidades já que somos a segunda maior associação distrital do país” completou Nelson Trindade a informação veiculada através de um comunicado sobre a reunião com os 20 treinadores.

Por sua vez Renato Morais reafirmou à Judo Magazine “importa intervir pela positiva nestas circunstâncias e resolver rapidamente a situação que está a afetar o judo a nível nacional”.

Unidos em torno de uma ideia de desenvolvimento.

“Treinadores da ADJSETÚBAL reunidos ontem dia 5 de Janeiro em Almads até de madrugada para abordagem de vários temas técnicos de interesse para o desenvolvimento da modalidade no Distrito de Setúbal e abordagem da atual situação preocupante federativa!
A participação de 20 elementos, quase a totalidade dos treinadores e clubes da nossa associação, são a demonstração de grande vitalidade e que ao fim de 30 anos do Diretor Técnico Distrital Nelson Trindade, de ligação à ADJS, continua a promover a forte coesão Associativa naquilo que é crucial, pese embora haver diferentes sensibilidades para algumas questões que não são fraturantes, mas sim construtivos!
Para além dos excelentes resultados desportivos em 2022 em todos os escalões etários, individuais e por equipas, a demografia em 30 anos passou de 222 federados em 1993 para 2072 federados em 2022, facto relevante que demonstra a dinâmica de desenvolvimento e de crescimento do Distrito … “factos são factos e contra factos não há argumentos”!
A ADJSETÚBAL está unida em torno de uma ideia de desenvolvimento!!!
A reunião teve a presença do Presidente da Direção Renato Morais, que transmitiu aos presentes o resultado do contato obtido com o Presidente destituído da FPJ”

foto © Ass Distrital de Judo de Setúbal

Please follow and like us:
error
fb-share-icon

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *