19/06/2024

Vai Timo! ou a história de uma princesa que virou rainha em Almada

Bárbara Timo sorriu luminosamente, saudou os adeptos nas bancadas e caiu nos braços de Ana Hormigo

Ana Hormigo e Bárbara Timo depois da vitória sobre Moraes

Esta vitória de Bárbara Timo no Grand Prix de Portugal não vai ser esquecida tão cedo pelos amantes da modalidade. O ambiente nas bancadas do Pavilhão do Complexo Municipal dos Desportos de Almada foi crescendo de entusiasmo à medida que a progressão da atleta olímpica se concretizava no sentido da sua participação na final.

Vai Timo! foi grito de incentivo que foi ganhando eco desde o primeira vitória contra a angolana Diassonente Mucungi. Antes ainda da confrontação desportiva entre ibéricas, o que viria a acontecer no combate decisivo contra Cristina Cabana Perez, houve lugar a uma espécie de “Batalha dos Balcãs” com uma opositora da Sérvia, Obradovic e de seguida, nos quartos-de-final com a croata Iva Oberan.

O combate da final contra Gabriela Moraes teve pouca história. Muito por culpa da atleta brasileira que insistiu em praticar, em várias situações, ataques com irregularidades que levaram a sua exclusão por acumulação de penalizações. Bárbara dominou o combate, agiu com alguma prudência e saiu vitoriosa com todo o mérito.

A combinação mágica que acabou por resultar em pleno foi a diversidade de soluções que Bárbara Timo acabou por apresentar no judo de ataque, a capacidade de gerir as situações em Ne-Waza que não lhe eram favoráveis e sobretudo uma postura sólida e segura nos momentos de intensificação da atividade das adversárias. Tudo isto combinado com um apoio do público que criou muito rapidamente uma grande empatia com a judoca do Benfica.

O olhar de agradecimento e o sorriso de felicidade que a vencedora da prova dirigiu no final às bancadas do Pavilhão foram um momento muito especial. Bárbara Timo contagiou Almada e o judo nacional por acréscimo.

Depois da vitória caiu nos braços de Ana Hormigo e ambas celebraram o resultado de um trabalho consistente e muito cúmplice entre as duas protagonistas, uma como atleta e outra como treinadora.

Valorizar a vitória de Timo implica chamar à primeira página Ana Hormigo. Ambas estão de parabéns e o judo nacional agradece.

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *