Atleta cadete ucraniano indevidamente excluído do Europeu pela FPJ

O Vitória Futebol Clube pediu esclarecimentos sobre a decisão tomada sobre o jovem refugiado de guerra

Editado JM 17h52

Uma carta dirigida ao Presidente da Federação Portuguesa de Judo, Sérgio Pina, expõe de forma clara e sequencial os motivos que levam o Vitória Futebol Clube a considerar que Nazar Nynyk, atleta do clube, deveria estar a representar Portugal na categoria de peso de -55 kg no próximo Campeonato da Europa de cadetes que se realiza em Odivelas entre 22 e 25 de junho.

Segundo a secção de judo do clube sadino não foram respeitados os critérios estabelecidos nos regulamentos e Nazar Nynyk deveria integrar o lote dos10 atletas masculinos que junta, para além dos que são selecionados diretamente, os restantes que beneficiam das condições especiais do país organizador em matéria de participações na prova.

Esta situação será tanto mais inconcebível quanto a Federação Internacional de Judo teve o cuidado de comunicar por carta à FPJ que estes jovens refugiados podem representar o país de acolhimento nas provas internacionais, demonstrando uma solidariedade com desportistas, que foram involuntariamente afastados dos seus países e que precisam de continuar a fazer aquilo que mais gostam, no caso a prática do judo de competição. Aliás a própria federação desempenhou um papel importante na obtenção das autorizações da FIJ para a participação do jovem atleta na primeira prova internacional, pelo que ainda menos se entende esta posição sobre o Europeu de Odivelas.

Carta da FIJ

….(…) Confirmo que a Federação Internacional de Judo autoriza o Sr. Nazar NYNYK, residente em Portugal, a participar nas competições de juniores e outras em escalões inferiores da IJF ou Continental Union sob a bandeira do seu país de acolhimento, se estiver inscrito na respectiva Federação Nacional (…).

As iniciativas dos dirigentes e treinadores do VFC, visando a clarificação da situação, não tiveram até agora resposta por escrito e as interações telefónicas havidas acabam por revelar que o actual Presidente da FPJ, ao contrário do que declarou na sua recente tomada de posse nas instalações do Comité Olímpico de Portugal , continua a imiscuir-se na composição das seleções e a definir orientações com os treinadores dos clubes, como a carta do VFC demonstra.

As razões do Vitória Futebol Clube

Comunicação à Federação Portuguesa de Judo dirigida ao Presidente Sérgio Pina.

“Após visualizarmos a convocatória para o Campeonato da Europa de Cadetes, para enorme surpresa de todos, deparamo-nos com a ausência do atleta Nazar Nynyk, nos -55kg. 

Uma ausência que contraria o que nos foi comunicado, inclusive por si, desde a Taça da Europa de Coimbra na qual o Nazar foi o melhor representante de Portugal na categoria, à frente do outro atleta que se encontra na convocatória. Na altura disseram que o Nazar teria de estar presente nos estágios seguintes e assim o fez para cumprir todos os critérios; que se a equipa técnica achasse que o seu desempenho fosse positivo e o propusesse que estaria na convocatória. O Nazar revelou sempre um empenho e capacidade de trabalho bastante acima da média, o seu empenho foi, inclusive, comentado perante outros atletas pela equipa técnica.  

Queremos perceber o porquê da sua ausência na convocatória ainda que a expensas próprias, como tantos outros. 

Sabemos que a equipa masculina está limitada a 10 lugares. Mas segundo o regulamento há 3 pontos que colocariam o Nazar à frente de outros que figuram na convocatória. 

O ponto 6 diz: “No caso de haver mais do que um atleta, dentro da mesma categoria de peso, com possibilidades de participação, será selecionado o atleta inserido no Projeto Olímpico e, de seguida, o atleta que apresente uma maior eficácia, ou seja, melhores resultados em relação  ao menor número de provas em que participou.” 

O Nazar apresenta uma maior eficácia do atleta que figura na convocatória na sua convocatória. Mas há outros que também apenas ganharam um combate. 

O ponto 8 diz: “Para os escalões etários de Juvenis e Cadetes a seleção inicial terá por base os resultados do Campeonato Nacional do escalão, e sequencialmente pelos resultados obtidos nas provas
internacionais em que os atletas participem e obtenham resultados de mérito” 

“A seleção inicial terá por base os resultados do Campeonato Nacional” esta a razão pela qual o Nazar teve de pagar a sua presença na Taça da Europa e nos estágios “e sequencialmente”, isto é, a partir deste momento “pelos resultados obtidos nas provas internacionais”. Portanto a Federação começa por levar inicialmente quem se classifica no Nacional e depois será selecionado quem se classifica melhor nas provas internacionais. Que neste caso, foi o Nazar. Ficou em 9º com dois combates ganhos ao contrário de outros que têm 9º lugar com 1 combate ganho. O Nazar ganhou ao medalha de prata
da Taça da Europa de Nápoles. Teve o braço do francês que se classificou em 2º lugar em Coimbra esticado, e sabe-se lá como o francês conseguiu sair. 
Reforçamos que a Federação afirmou diversas vezes que, entre os não convocados, o primeiro critério seria a obtenção do nono lugar em taças da Europa, com pelo menos duas vitórias, algo que o atleta em
questão efetivamente tem, contrariamente a alguns dos que estão incluídos na convocatória.  

No sistema de qualificação para os grandes eventos o único escalão referido no regulamento que exige presença no Campeonato Nacional é os Sub23 como refere o ponto 4: “Para participarem no Campeonato da Europa de sub23 os atletas terão de ter participado no Campeonato Nacional.”
Podemos inferir que o facto do Nazar não ter participado no Campeonato Nacional não pode ser critério de exclusão da convocatória. 

Tendo em conta os diversos pontos referidos, e ainda o facto de haver atletas na convocatória que estão atrás do Nazar Nynyk segundo os critérios apresentados, gostaríamos de solicitar a devida retificação da situação.  

Acrescentamos ainda que a sua inscrição é possível, uma vez que na judobase a Federação tem 2 inscritos nos -55kg e pode substituir sem problemas o Manuel Zorreta que não irá participar. 

Ficamos a aguardar por uma resposta ou uma adenda à convocatória, agradecendo desde já toda e qualquer atenção dispensada com o assunto. 

Os melhores cumprimentos”. 

Dos contactos e das iniciativas que realizámos para obter informações sobre o tema, junto da Federação Portuguesa de Judo, até à data não tivemos qualquer resposta. Fica assim limitada a nossa abordagem ao assunto, mas continuaremos a cumprir o papel da Comunicação Social que é informar os leitores. CR/JM

Nazar Nynyk em prova

Foros UEJ

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *