Só Patrícia escapou

Lanir e as raposas

No Grand Slam da Mongólia assistimos ao regresso de Jorge Fonseca às competições internacionais e a uma vitória retumbante de Patrícia Sampaio sobre a atleta japonesa Takayama nos quartos-de-final dos -78 kg. Dois apontamentos que marcam a prova de Ulaanbaatar que proporcionou momentos de judo muito peculiares com os combates entre atletas de elite da categoria de peso de -100 kg, velhas raposas do judo internacional, Liparteliani (GEO), Wolf (JPM) e Fonseca (POR).

Os combates de Liparteliani com Jorge Fonseca e com Wolf, que o georgiano acabou por vencer apesar de uma lesão na sua perna direita, foram episódios notáveis de tática de combate, combinando prudência com ataques fortes mas sempre muito controlados. A arte de esperar ativamente esteve ali presente, combinada com a astúcia. Conhecem-se, estudam-se e combatem com arte e com lealdade. No final do combate contra Liparteliani Jorge Fonseca ficou lesionado e não compareceu para a repescagem contra Kotsoiev que ira disputar o bronze contra Adamian.

Rochele Nunes não passou no combate da repescagem contra Lee da República da Coreia e Sampaio, que foi vencida na meia-final pela campeã do mundo, a israelita Lanir, apesar de ter estado a vencer por wazari, vai disputar a medalha de bronze contra a germânica Bohem.

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *