30/05/2024

Prata de Rochele Nunes faz justiça ao desempenho individual mas também ao coletivo da seleção


O sétimo lugar de Telma Monteiro, na categoria de peso de -57 kg, veio juntar-se à medalha de prata de Rochele Nunes (+78 kg) e aos três quintos lugares de Bárbara Timo (-63 kg), de João Fernando (-81 kg) e de Jorge Fonseca (-100 kg) para a classificação final de Portugal (13º lugar) na prova da capital do Azerbaijão.

Joana Diogo (-52 kg) e Maria Siderot (-52 kg) não contribuíram para este resultados coletivo por terem sido eliminadas no primeiro combate que as opôs a adversárias difíceis como Astride Gneto (FRA).

Richele de prata

O percurso da atleta do Benfica, que contou com a orientação de Ana Hormigo no banco, foi linear até chegar à final onde cedeu perante a brasileira Beatriz Souza, uma atleta de porte invulgar que coloca a seu favor uma estatura que a favorece perante as suas opositoras. 

Rochele venceu sucessivamente os seus combates contra adversárias da República Dominicana, da Turquia e da Russia (sob a bandeira AIN – atletas neutrais).

Uma medalha de prata em Baku que coloca o objetivo de Paris 2024 mais próximo e que impulsiona e motiva a atleta para os próximos embates no quadro do World Tour.

Os quintos, à beira das medalhas

As duas derrotas na reta final da prova, contra Borshasvilhi da Austria, na meia-final e contra o japonês Kohara, na disputa do bronze, em nada retiram o mérito de um percurso absolutamente irrepreensível que levou João Fernando a vencer o seu quadro de qualificação e a justificar a presença na meia-final. O atleta do Sporting Clube de Portugal deu provas de uma grande maturidade e revelou mais uma vez um judo ágil e eficaz que o colocam no topo do judo mundial numa categoria de peso particularmente difícil na qual atletas como Casse (BEL), Muki (ISR), Albayrak (TUR) ficaram pelo caminho.

João Fernando soma e segue a caminho de Paris 2024 reforçando o seu estatuto de candidato a uma medalha no próximo Europeu. que se realiza a 3 de novembro próximo.

Timo, vigor e rigor tático

Bárbara Timo apresenta-se com um vigor acrescido em provas de elevada pressão competitiva como foi o caso de Baku e ultrapassou as suas primeiras adversárias em grande parte graças a esse estado de espírito positivo. Na repescagem ultrapassou a número 2 do ranking mundial, a kosovar Laura Fazliu mas a experiente australiana Katharina Haecker (7ª do ranking mundial) foi mais forte no combate decisivo para a atribuição do bronze e Bárbara Timo ficou-se por um honroso quinto lugar.

Fonseca, um atleta super estudado 

Jorge Fonseca que beneficiou de uma passagem direta para a terceira ronda das eliminatórias, venceu o brasileiro Leonardo Gonçalves e logo de seguida cedeu perante o jovem russo KANIKOVSKIY MATVEY que viria a disputar a final contra o nº1 do ranking mundial, o georgiano Sulamanidze.

Na repescagem, Fonseca ultrapassou o junior alemão Udsilauri, que o vencera recentemente, por wazari num Golden Score prolongadíssimo. Na disputa do bronze contra a francês Aurélien Diesse, depois de vários ataques próximos do sucesso através do seu potente osotogari à direita, acabou por ser imobilizado por um adversário hipercalculista, que o estudou ao milímetro, que durante todo o combate apenas tentou um ataque digno desse nome e que venceu no chão através de uma ação de inversão de direção que o colocou em posição de osaekomi.

Telma, sempre no topo

Telma Monteiro, apesar de ter terminado numa posição inferior à dos seus três colegas de seleção (7º lugar) que se classificaram em quinto lugar, teve o mérito de ultrapassar adversárias difíceis como Kim (KOR) e Smythe-Davis (GBR). Telma, com 37 anos, tem no Campeonato da Europa de novembro próximo um grande desafio de afirmação numa fase final da sua brilhante carreira que já contemplou, a par de inúmeros títulos, uma medalha olímpica conquistada no Rio de Janeiro.

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *