21/05/2024

Grand Slam realiza-se a 2 e 3 de dezembro na capital japonesa

Trata-se da última grande prova do World Judo Tour do ano corrente surgindo como uma espécie de encerramento com chave de ouro do calendário internacional.

São 87 países de 4 continentes (e atletas extracontinentais que contam como quinto continente) e 501 atletas que participarão no torneio, sendo de registar que haverá uma centena a mais de homens que mulheres o que não é habitual nestas competições de elevada importância mundial. Exceção feita dos -60 kg e +100 kg todas as restantes categorias de peso masculinas estarão na sua carga máxima com aproximadamente 50 atletas cada.

Portugal

Portugal apresenta uma seleção de atletas muito heterogénea mesclando veteranos e “habitués” destas andanças com jovens, ainda juniores, que farão a sua estreia no grande palco japonês. Os juniores Miguel Gago, Otari Kvantidze e Pedro Lima, nos masculinos, acompanharão João Fernando, o atleta do Sporting Clube de Portugal que se encontra em boa forma e em progressão sólida na sua categoria de peso -81kg.

Na vertente feminina, por sua vez , serão Raquel Brito e Joana Crisóstomo, cuja experiência de participação em provas internacionais jé é muito relevante, a acompanhar atletas mais experientes como Joana Diogo e competidoras de topo mundial como Catarina Costa e Bárbara Timo.

CPLP

De registar a aposta do Brasil nesta prova, que assume uma grande importância para a qualificação para os Jogos Olímpicos de Paris. O país latino-americano apresenta 15 atletas na sua seleção, aliás tantos quanto a França.

De notar que os angolanos não estarão presentes nem nenhum dos restantes países da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Atletas Individuais neutrais

Debaixo da bandeira da IJF e assumindo um estatuto peculiar, o de serem atletas russos ou bielorrussos que se declararam neutrais face ao conflito entre a Russia e a Ucrânia, irão participar 28 atletas, rigorosamente dois por cada categoria de peso em masculinos e femininos. Uma comitiva com uma composição e densidade raras, mas o horizonte Paris 2024 está aqui bem presente.

Por sua vez Israel, cujos atletas não estão sujeitos a quaisquer condicionamentos apesar do conflito com o Hamas na Faixa de Gaza, apresenta 16 atletas na prova com uma larga maioria de atletas mulheres.

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *