Congresso Internacional de Ética no Desporto em Espinho produziu reflexão e lançou novos desafios (1)

JUDOLAB – REPORTAGEM | Carlos Ribeiro

A iniciativa não surgiu por acaso. Há antecedentes em Espinho de organização de jornadas sobre ética no desporto e há sobretudo práticas que merecem ser estudadas e divulgadas, principalmente no futebol popular, onde o cartão branco já disputa o lugar aos seus congéneres vermelho e amarelo.

Mesa Redonda Psicologia, Valores e Educação com Pedro Cunha, Duarte Araújo e Jorge Sivério, moderação Diana Jorge

O Congresso Internacional contou com a colaboração e a participação dos nossos vizinhos espanhóis e foi animado por especialistas e figuras relevantes da educação e do desporto escolar, a par de sociólogos, psicólogos e outros peritos que reforçaram as abordagens reflexivas em diversos planos.

O PNED – Plano Nacional da Ética no Desporto marcou uma presença particularmente relevante nos debates e animação das jornadas e o IPDJ-Instituto Português do Desporto e da Juventude cooperou ativamente com a Câmara Municipal de Espinho na organização do evento.

A desconstrução das representações simplistas

Talvez o grande mérito deste Congresso tenha sido a desssacralização de conceitos que são usados, tendencialmente, de forma simplista. De alguma forma assistiu-se a uma desconstrução da relação unívoca valor-moral. O distanciamento que foi possível registar entre os dois polos da relação serviu para aclarar os terrenos próprios de cada um e sobretudo libertou os valores de uma prisão ideológica que facilita dinâmicas mais operacionais na sua implementação.

Assim a mensagem mais significativa do Congresso pareceu-nos remeter para a Educação pelos Valores relegando para segundo plano as abordagens retóricas e os processos de evangelização a partir de códigos morais.

José Mário Cachada, Câmara Municipal de Espinho, coordenou a organização do Congresso

Como lidar com os valores nas práticas concretas da animação desportiva? Esta interrogação surgiu como um ponto crucial de reflexão e sobretudo como um verdadeiro desafio. Ao orientador, professor, treinador, animador desportivo competirá, neste linha de pensamento, organizar e dinamizar situações nas quais cada um dos valores surge, aos olhos de cada um, como uma OPORTUNIDADE DE ESCOLHA e de APRENDIZAGEM sobre o que pode significar este ou aquele valor aos seus próprios olhos. Surge assim como elemento determinante dos processos de relação com os valores o CONTEXTO no qual ocorrem situação que a eles fazem apelo. O local, o grupo de presentes, as características pessoas de cada protagonista, os estados de espírito do momento, os quadros de referência de cada um e cada uma, estes e outros elementos determinam o significado concreto da honestidade, da humildade, da solidariedade, do respeito , da disciplina e outros.

Assim como adiantou o Diretor Geral da Educação, Pedro Cunha, numa mesa redonda particularmente rica no aprofundamento temático sobre os valores “Valor é aquilo que se vive” e ainda “Importa estabelecer uma forma ecológica de pensar e praticar os valores na sociedade moderna”.

Próximo artigo (2) sobre o Congresso “Casos com valor”

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *