16/06/2024

Mestre Zé Manel

Tive o privilégio de partilhar com ele o que nos ia na alma, fossem alegrias ou tristezas, confidências ou meras trivialidades

Fernando Seabra partilha com a comunidade do judo as suas sensações e reflexões sobre as experiências vividas por ele com José Manuel Bastos Nunes.

Foi com o “Mestre Zé Manel”, como carinhosamente os alunos mais chegados se atreviam a tratá-lo, que iniciei a minha prática do Judo no Judo Clube de Sintra – Judokai, no Cacém, em 1980, e foi essencialmente com Ele que aprendi grande parte do pouco que hoje sei neste meu percurso pelo Judo.

Para além de ser o meu Mestre, tive ainda a honra de ser também seu assistente na denominada “Aula da Manhã” no Judo Clube de Portugal, e de ser seu Uke em tantas demonstrações. 

Mas, acima de tudo, tive o privilégio de ser seu Amigo e de com Ele partilhar quotidianamente o que nos ia na alma, fossem alegrias ou tristezas, confidências ou meras trivialidades.

O que com o Mestre aprendi sobre Judo – não apenas a Técnica, mas sobretudo a sua Essência – tento ora partilhar quotidianamente com os meus alunos. Decerto de forma muito deficiente, arrancando-lhe sorrisos reprobatórios, onde quer que esteja. Mas é esse o meu dever para com Ele!

Fernando Seabra

Fernando Seabra, na aula das “Sete da Manhã”, orientando uma sessão sobre Kime-no-kata

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *