16/06/2024

Judo na escola é projeto promissor

O Hajime promove uma iniciativa que pode ser replicada noutros clubes do país

REPORTAGEM JUDO MAGAZINE

São iniciativas destas que consolidam a crença que o judo pode progredir e trilhar novos caminhos no seu desenvolvimento a nível nacional. Pelo menos o facto do projeto divulgado pelo Clube de Judo Hajime ter por sede a escola é desde logo um sinal de pertinência. Todos sabemos que os territórios de expansão do judo, como modalidade desportiva popular e amplamente praticada, são diversos: os bairros, os colégios, os clubes multidesportos e muitos outros. Mas a escola tem um potencial muito especial. O que importa é quebrar o muro das diversas dificuldades que surgem quando as variáveis da vida escolar, que têm regras próprias, surgem como um impedimento a uma maior presença do judo na prática desportiva dos alunos.

EB Parque Silva Porto

Luís Bettencourt acolheu-nos na EB Parque Silva Porto um estabelecimento escolar que integra o Agrupamento de Escolas Quinta de Marrocos situado num dos extremos da freguesia de Benfica, mais concretamente no limite desta com a Freguesia da Buraca. Presentes Sérgio Pina, Presidente da Federação Portuguesa de Judo e Carolina Costa, Presidente da AJDL – Associação de judo do Distrito de Lisboa que tiveram oportunidade de observar a dinâmica do projeto ao acompanharem duas aulas que decorreram entre as 10h00 e o meio-dia com a orientação da treinadora de judo Natália Brígida.

Carolina Costa, Sérgio Pina, Luís Bettencourt, Isabel Neves e Natália Brígida na escola onde decorre o projeto. foto © CVR-Judo Magazine

Um projeto baseado na prática regular do judo

Os representantes institucionais do judo nacional e distrital ouviram a apresentação sumária do projeto que Luís Bettencourt adiantou e houve oportunidade para uma troca de impressões muito positiva entre os presentes.

Tratava-se de dissecar um modelo que se baseia no compromisso de Clube Hajime em fornecer todo o equipamento desportivo e orientar as aulas de judo envolvendo turmas inteiras. O judo entra assim na programação das atividades da escola de forma plena e não apenas numa base marginal. No fundo trata-se de um convite irrecusável para que alunos muitos jovens experimentem ao longo de todo o ano, uma vez por semana em horário escolar, a prática de um desporto que acaba por influenciar os comportamentos e as atitudes dos jovens que o frequentam de forma assídua.

Sérgio Pina relembrou que o seguro escolar e desportivo estão agora combinados e que essa facilidade pode ser um fator positivo para experiências que envolvam alunos que estão a praticar desporto. Nesse plano LuÍs Bettencourt recordou, por sua vez, que no projeto Judo na Escola todos os participantes são automaticamente inscritos na FPJ. Carolina Costa adiantou que existem outros projetos na escola pública que estão a ser apoiados pela Associação Distrital de Judo de Lisboa e admitiu que as bases do projeto do Hajime têm potencial para crescimento e apoio a vários níveis.

No fundo, existindo um modelo-base desenhado pelo clube promotor, existem agora várias questões que se colocam face ao desafio de existirem apoios e suportes que tornem a sua implementação viável a todos os níveis.

Carolina Costa, Sérgio Pina e Luís Bettencourt trocam ideias sobre o modelo Judo na Escola

Os miúdos adoram

Isabel Neves, coordenadora da escola, juntou-se ao grupo e referiu de forma categórica “Venham mais projetos como este. Existem muitas iniciativas que são para inglês ver e que servem para muito pouco, mas esta não, ela tem uma clara influência nos jovens alunos na sua relação com a escola e nós só podemos valorizar este tipo de projetos”.

Luís Bettencourt admitiu que seria útil dispor de elementos para monitorização do projeto sendo previsível que no futuro venham a ser aplicados alguns questionários relacionados com a medição de impacto em matéria disciplinar e de aproveitamento.

A experiência de uma aula de judo é sempre muito especial

Para Natália Brígida, treinadora de judo, o projeto tem um elevado potencial e vem ao encontro da sua experiência anterior, como atleta e como professora. “Existem aqui alunos que são surdos. Necessariamente esta situação obriga a uma abordagem dos temas do judo de forma mais específica. Mas o projeto tem um horizonte que é o Judo para Todos. Assim o grande esforço é que todos gostem de praticar desporto e que se sintam bem a praticar judo.” adiantou-nos a treinadora antes da aula com os alunos com problemas estruturais de audição. “Os valores associados ao judo são também importantes. No fundo não se trata só de uma atividade física. Trata-se do desenvolvimento humano que remete para as atitudes e comportamentos. A minha experiência de vida, como atleta de Alto Rendimento, com as situações que vivi, tudo isso pode ser útil para todos eles. A vida de cada um deles pode melhorar um pouco se tiverem a apoiá-los algumas referências que eventualmente não terão em casa. Essa é também a nossa missão” concluiu a ex-atleta da seleção brasileira de judo.

Natália Brígida uma treinadora com experiência pedagógica e de Alto Rendimento

Aula de jovens surdos

Uma das especificidades do projeto consiste em assegurar que turmas que funcionem de forma autónoma, como é o caso das que enquadram jovens surdos, possam aceder ao projeto e à prática do judo em bases coletivas. No caso estes alunos receberam os seus novos equipamentos [totalmente gratuitos para todos os participantes no projeto] e foram apoiados na comunicação por uma professora do ensino especial que os acompanha de forma continuada.

Exposição de Abril na escola

Uma visita-surpresa à Exposição sobre os 50 anos do 25 de Abril proporcionou um encontro com o Presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Ricardo marques, que para além da valorização da exposição aproveitou para divulgar o amplo programa que a Junta está a dinamizar no âmbito do desporto na freguesia. O interesse pelo projeto do Clube de Judo Hajime foi manifesto e as iniciativas de cooperação ficaram estabelecidas para um futuro próximo sendo certo que o objetivo comum da Federação Portuguesa de Judo, da Associação de Judo do Distrito de Lisboa, da Direção da Escola e do Agrupamento e da Junta de Freguesia de Benfica é convergente com a ideia de fundo do Judo para Todos na Escola.

Fotos © CVR- Judo Magazine

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *