16/06/2024

Lisboa menina e moça

Estádio 1º de maio acolheu Campeonato Zonal de juvenis

REPORTAGEM JM – Estádio 1º de maio, Lisboa

Em plena área central de Lisboa o espaço verde onde se respira simultaneamente tranquilidade e efervescência desportiva, o estádio 1º de maio simboliza à evidência a ideia-força do desporto para todos. Aqui grupos de jovens e adultos ocupam os campos de jogos enquanto que nas suas redondezas, onde as árvores oferecem sombra e proteção, brinca-se e passeia-se.

Maria e Agostinho de mãos dadas percorrem a ala central de acesso para mais um passeio de fim-de-tarde. Ela com 87 e ele 93 anos de idade são visitantes assíduos ao estádio do INATEL “Há 61 anos que aqui fazemos as nossas caminhadas e que acompanhamos a atividade desportiva. Já passou por aqui muita coisa. Moramos ali naquele prédio mesmo em frente e gostamos de vir aqui sempre que podemos. É o sítio mais tranquilo de Lisboa e muito seguro” adiantou-nos Maria que ia obtendo uma confirmação silenciosa de Agostinho que ia acenado com a cabeça. Há 60 anos que estão casados e à pergunta se foram sempre os dois, como marido e mulher, reagiram “E não podia ser de outra maneira”, com um sorriso do tamanho do mundo.

Maria e Agostinho comprovam a importância dos espaços públicos na vida quotidiana na cidade

No pavilhão, um judo alegre

Nas bancadas onde um público composto por atletas, familiares, amigos, colegas de clube e outros visitantes circulava-se com dificuldade. Ali funcionava uma espécie de box técnica onde o reabastecimento em sumos, água, fruta para todos aqueles jovens atletas que intercalavam a sua presença no tapete com uns abraços ou umas palavras de incentivo de quem os acompanhava. Ali aconteciam também os últimos alertas antes de serem colocados debaixo da orientação suprema da treinadora ou treinador na área reservada aos competidores.

O apuramento para o nacional estava em jogo e apesar das regras de acesso sofrerem alguma contestação por não se atender ao peso dos praticantes da cada associação na definição dos critérios todos os clubes procuraram colocar atletas seus na lista dos apurados. E a diversidade foi assegurada pela ação esforçada de cada clube, cada treinador e cada jovem atleta.

Bons combates, um judo em progressão

Assistiu-se a bons combates ao longo de toda a prova e a maturidade nos diversos pontos críticos da gestão dos embates, aliás bastantes equilibrados, revelou-se elevada e com consistência. Os desequilíbrios existem sempre, como é natural atendendo à densidade de treino e à qualidade de orientação técnica, mas no conjunto o Zonal apresentou um bom nível competitivo.

GALERIA JUDO MAGAZINE

Treinadores. Uns mais no ativo do que outros, com a presença de duas referências do judo nacional, António Geraldes e Henrique Nunes (à esq.)

Algumas imagens com seleção aleatória.

REPORTAGEM JM – Fotos © Carlos Valentim Ribeiro -Judo Magazine

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *