16/06/2024

Não se faz crescer uma planta puxando pelo caule

Atleta de Portimão foi o único português a subir ao pódio em Coimbra

Não é a primeira vez que o jovem Stanislav Yoltukhovskiy se distingue dos seus compatriotas em provas europeias e acaba por conquistar um lugar no pódio. Desta vez em Coimbra, na Taça Europeia de Cadetes, a vitória alcançada sobre o espanhol Carlos Romero Nakhil na disputa do bronze teve relevância para o próprio, para o Judo Clube de Portimão que realiza um trabalho específico com os cadetes e finalmente para a seleção nacional que tendo apresentado 121 judocas na prova, corria o risco de apresentar um resultado em branco numa competição da qual o país foi anfitrião.

O atleta portimonense realizou um percurso muito seguro. Começou por eliminar por ippon o italiano Tiziono Russo e de seguida venceu Ivan Komoval de Espanha por wazari. Na semifinal cedeu por wazari frente a H. Eyvazliaze (AZE). Na luta pelo Bronze encontrou-se com Carlos Nakhiz de Espanha que eliminou em apenas 46”, conquistando um lugar no pódio.

Stanislav confirmou em Coimbra um posicionamento a alto nível europeu no escalão mais jovem do judo de competição da UEJ © Paulo Porfírio UEJ

Fragilidades à vista

Dos atletas lusos participantes na prova 74% não venceram qualquer combate. Dos 121 que se envolveram nas 16 categorias de peso, das mais leves [-50kg Masc, -44 kg Fem] – não houve judocas portuguesas na categoria de peso mais leve -40 kg – às mais pesadas [+90 kg Masc, +70 kg Fem] 90 não venceram qualquer adversário, sendo no caso idêntica a performance de atletas masculinos e femininos.[58 masc. e 32 fem.].

Foram no entanto registadas participações mais favoráveis, 31 atletas venceram pelo menos um combate, 18 um, 9 dois, 3 três e um cinco. Neste plano as atletas femininas que venceram combates tiveram em Margarida Pereira [-48 kg] a melhor representante com 3 vitórias enquanto que nos masculinos foi Afonso Reis [-60 kg], que ao vencer 5 combates [sem no entanto conquistar quaisquer medalhas] foi o mais produtivo. O único atleta luso medalhado na prova Stanislav Yoltukhovskiy atingiu esse objetivo vencendo 3 combates.

© Paulo Porfírio UEJ

Experiência é central

Como é entendimento comum esta participações em provas europeias de nível elevado visam antes de mais criar condições para que os atletas vivam experiências diferentes para reforçarem a capacidade competitiva a todos os níveis nomeadamente no plano atitudinal já que o contexto exige uma gestão adequada das emoções e põe à prova todos os mecanismos de autocontrole dos participantes.

Face aos resultados que emergem desta prova de Coimbra importaria avaliar a eficácia da estratégia seguida e ponderar os impactos negativos, que se traduzem em frustração não revelada por parte de dezenas de atletas. Será fácil afirmar que estas experiências são sempre positivas. Na circunstância essa poderá ser uma posição voluntarista que pouco ajuda ao desenvolvimento estrutural dos atletas e da modalidade. Não, nem todas as experiências são positivas e nem todas as experiências fornecem elementos de verdadeira aprendizagem.

Ou seja, não se faz crescer uma planta puxando pelo caule.

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *