16/06/2024

Uma festa olímpica

Os 40 anos de judo de Nuno Delgado foram festejados na Academia da Estrela

REPORTAGEM JUDO MAGAZINE

Abraços, reencontros, conversas informais, discursos, narrativas e histórias de outros tempos, momentos institucionais, momentos de celebração, ofertas, gestos de reconhecimento, ações coletivas no tatami, crianças que imobilizam as mães e pais que endireitam com orgulho o seu cinto arco-íris, música e anúncios diversos disparam da aparelhagem sonora, o microfone circula sem parar, o judo coabita com o convívio, com as emoções e o pavilhão transforma~se num espaço de festa no qual se celebra a amizade.

Afinal o palco era todo o pavilhão, todos agiam e interagiam com a sensação de fazer parte do que estava a acontecer. E esse terá sido o objetivo de Nuno Delgado ao juntar e agregar pessoas e instituições em torno de causas e de valores, tendo por pretexto, ou melhor, por ponto de partida os 40 anos de prática da modalidade pelo primeiro medalhado olímpico de judo no país.

“Gosto de viver a vida intensamente e estava a sentir falta de um momento como este. Não podemos esquecer que a pandemia impediu-nos de praticar judo durante um ano e meio e as relações interpessoais sofreram muito com essa situação de interregno e de separação.

Precisava de estar com os amigos, com os pais dos meus alunos, de retomar esta relação de proximidade. É um facto que há uns tempos perdemos um grupo grande de alunos, uma geração que foi especial mas que já não está cá. Agora há uma nova dinâmica com novos praticantes e professores e a Escola está viva e a formar campeões para a vida que é aquilo que nós gostamos de fazer.

Eu precisava de celebrar esta nova realidade. Fiz contas e cheguei à conclusão que completava 40 anos de judo e foi essa a base para organizar esta iniciativa” adiantou-nos Nuno Delgado que admitiu que um evento organizado a alguns dias do arranque dos Jogos Olímpicos de Paris pelo atleta que conquistou a medalha de bronze em Sydney em 2000 teria também que valorizar o espírito olímpico “Esta casa, a Federação Portuguesa de Judo, quando treinávamos aqui na Rua do Quelhas, sonhava com uma medalha olímpica. Aconteceu comigo mas podia ter sido outro, éramos uma família que queria colocar o judo no palco nacional. No fundo queríamos que a sociedade portuguesa pudesse usufruir da nossa paixão que é o judo. 16 anos depois a Telma conseguiu a segunda e mais tarde o Jorge atingiu o mesmo objetivo”.

E sobre Paris 2024 Nuno Delgado referiu que esteve a acompanhar o Campeonato do Mundo com atenção e sobretudo observou o Jorge Fonseca que é um atleta que admira, pelo judo, pelo discurso e pela personalidade. “Os dois atletas que têm tarimba de pódio, a Catarina e o Jorge, são os que estão na corrida. Pode haver surpresas, mas o meu olho clínico dá-me esta pista. Não há problema que tenham terminado em 5º lugar, provavelmente quem ganhou no Mundial não vencerá em Paris.Temos que ser pragmáticos e confiar nos projetos que os treinadores João Neto e Pedro Soares estão a desenvolver com estes dois atletas que podem subir ao pódio e nós desejamos que seja no lugar mais alto, claro”.

Um dinamizador de emoções

Ao longo do evento que decorreu em vários espaços e funcionou com ritmos muito diferenciados houve sempre um mobilizador de energias e de afetos, o anfitrião Nuno Delgado que interage como respira atribuindo às atividades uma dinâmica muito personalizada.

Uma festa olímpica com olímpicos

Convidados para o evento por Nuno Delgado vários atletas olímpicos marcaram presença, do judo como foi o caso de Augusto Almeida ao atletismo com José Carvalho, havendo ainda a registar a presença e participação do Presidente da Associação dos Atletas Olímpicos de Portugal, Luís Alves Monteiro.

Atletas olímpicos e o Presidente da AAOP

Bandeira da ética ocupou lugar central

Não é por caso que na valorização das atividades realizadas ao longo dos anos a Bandeira da Ética surgiu como central e teve um destaque muito particular. A ideia fundadora do troféu que é atribuído a clubes e instituições que realizam projetos consistentes e continuados em favor da ética no desporto é intrínseca à própria filosofia e orientação prática da EJND cujo lema é também Orienta-te por valores.

A cooperação entre a EJND, o Plano Nacional de Ética no Desporto e o IPDJ existe há vários anos e são muitas as iniciativas que são levadas a cabo conjuntamente em torno dos temas que a Bandeira da Ética valoriza quando é atribuída às instituições que a podem ostentar.

Um aniversário festejado

Houve bolo de aniversário e tudo, com velas indicando os 40 anos e houve ainda os “parabéns a você” que os convidados cantaram com boa disposição e em sintonia com todo o staff que organizou uma festa de grande qualidade.

Para além da festa o judo e os amigos

A iniciativa contou com a presença de muitos amigos, de representantes de instituições, de treinadores que foram fundadores do ciclo de consolidação da modalidade como José Branco e António Anjinho, dirigentes de associações distritais como António Pedroso Leal e do anfitrião Presidente da Junta de Freguesia da Estrela Luís Newton. O Primeiro-Ministro de Cabo Verde esteve presente e teve oportunidade de dirigir aos presentes umas palavras muito significativas sobre Nuno Delgado.

Por sua vez um Torneio de Judo reservado aos mais jovens – Grande Prémio Nuno Delgado – realizou-se com a participação de vários clubes e dos atletas da Escola de Judo Nuno Delgado.

O Primeiro-Ministro de Cabo Verde dirigiu umas palavras de apreço ao participantes na jornada.

Editado | 28 de maio – 9:00 Nome do Treinador Pedro Soares

Fotos © CVR-Judo Magazine

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *