16/06/2024

Queremos impulsionar um verdadeiro movimento nacional de pensamento e de ação

Reafirmação dos princípios e das bases programáticas do Judo Nova Alternativa

ENTREVISTA JM – AO CANDIDATO JOSÉ MÁRIO CACHADA [2]

José Mário Cachada, um candidato praticante de judo desde criança, atleta e competidor, treinador e pedagogo, apresenta um perfil multidisciplinar no plano desportivo e profissional.

JUDO MAGAZINE [JM] – Que balanço realiza do mandato dos Órgãos Sociais eleitos para o período de 2020-2024 na sua globalidadeNesse balanço pode realizar uma abordagem mais específica, ao período de “fim-de-mandato” do último ano e meio?

JOSÉ MÁRIO CACHADA [JMC] A propósito da presente pergunta, recordo que, em tempos, aquando da primeira entrevista à Judo Magazine, enquanto líder da Judo Nova Alternativa afirmei, inequivocamente, que já era tempo de alguém se apresentar como uma alternativa, como uma nova alternativa.

E, na verdade, alguém que lidera uma candidatura de um verdadeiro movimento nacional de pensamento e de ação, alguém que lidera uma equipa que deseja promover uma mudança, face à situação que o Judo vivia na altura, em Portugal, não deseja comentar os aspetos “mais negativos” de um mandato.

Na nossa opinião, a situação que foi diagnosticada perdura.

Até pelo facto de, ontem como hoje, continuarmos a pensar que importa restaurar a confiança na Federação Portuguesa de Judo, tão abalada nos últimos tempos, bem como, conhecer e trabalhar em equipa, com as associações distritais e com as associações de classe, repensar e reorganizar o modelo desportivo e inovar para crescer.

O momento vivenciado pelo Judo, ao longo do mandato 2020-2024, em Portugal, leva-nos, repito, a nós, Judo Nova Alternativa, a não desejar comentar, ou mesmo, a não desejar avaliar, um percurso, amplamente conhecido de todos, um percurso que perdurou no tempo.

Não se trata de uma crítica, mas sim de uma constatação, pelo menos, para nós.

José Mário Cachada, cabdidato a Presidente da FPJ como líder do Judo Nova Alternativa.

JM – Quais são as ideias-força da candidatura que está a liderar. Pode indicar os 3 objetivos principais para o próximo ciclo olímpico  e qual será a marca distintiva da candidatura ou seja, qual vai ser o principal foco da gestão do próximo mandato?

JMC – Importa, para nós, Judo Nova Alternativa, repensar e reorganizar o modelo desportivo do Judo, em Portugal, implementando um verdadeiro projeto desportivo que assegure o futuro da modalidade, desde as crianças e jovens até ao mais alto nível, isto é, rumo à excelência, no alto rendimento.

Importa, de igual modo, inovar no que diz respeito à formação.

Importa, ainda, promover uma mudança de paradigma, no que diz respeito à gestão financeira e orçamental da Federação Portuguesa de Judo, de modo a que a sua situação financeira venha a estar sempre controlada.

A seu tempo, o programa, elaborado no seio da Judo Nova Alternativa e dos seus apoiantes, isto é, com a intervenção de inúmeras pessoas humanas, e que, muito naturalmente, integra estes e outros objetivos, será apresentado e discutido publicamente, com todos aqueles que o desejarem fazer.

JM – Pode indicar as características da EQUIPA que estará na base da proposta para Órgãos Sociais e alguns nomes para funções particularmente relevantes no plano técnico e de dinamização das iniciativas da federação?

JMC – Previamente a qualquer outra questão, para nós, Judo Nova Alternativa, não se trata, meramente, de nomes. Mas, também por respeito à eleição daqueles que irão constituir, em breve, a próxima Assembleia Geral. Que todos os judocas o façam em liberdade. Pode não parecer importante, contudo, para nós é decisivo.

Concretizando, ainda que sem avançar nomes, a seleção dos elementos da equipa tem tido sempre como pressupostos o facto de terem, por um lado, muito amor ao Judo e, por outro lado, o facto de serem pessoas humanas com muita vontade de enfrentar um desafio, como este. A divulgação que oportunamente será realizada irá comprová-lo.

A representatividade nacional será tida em linha de conta, não como um fim, mas pelo facto de, no Judo nacional, existirem inúmeros judocas, inúmeras pessoas humanas, com as supramencionadas características. As pessoas em causa combinam ainda a competência, a responsabilidade e o profissionalismo, um conjunto de condições que lhes permitirá acompanhar as exigências que, diariamente, são colocadas a uma organização como a Federação Portuguesa de Judo.

ELEIÇÕES PARA OS ÓRGÃOS SOCIAIS DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE JUDO – MANDATO 2024-2028

JOSÉ MÁRIO CACHADA

José Mário Lopes de Sá Cachada nasceu no dia 26 de setembro de 1963, em Castelões de Cepeda, Paredes. Partiu para a cidade do Porto, ainda, com 5 anos de idade. Aí, começou a praticar Judo, na Associação Nuno Álvares de Campanhã, tendo representado, ao longo da sua vida, outros clubes, tais como, os Salesianos do Porto, o Futebol Clube do Porto e o Clube de Judo do Porto, ao serviço dos quais conquistou alguns resultados desportivos de relevo, sobretudo, a nível distrital, regional e nacional.

Estudou em várias escolas públicas até ingressar, em 1981, no ISEF – Porto, Instituto Superior de Educação Física – Universidade do Porto, onde se licenciou em Educação Física, com opção de Futebol. Em 2003, na então FCDEF-UP, Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física – Universidade do Porto, terminou o seu mestrado em Ciências do Desporto – ramo de Gestão Desportiva. Concluiu os seus estudos de doutoramento, em Ciências do Desporto, a 26 de abril de 2013, na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, onde foi, também, Professor Auxiliar Convidado, até ao dia 31 de julho de 2022.

Publicou, ao longo da sua vida, livros, capítulos de livros, artigos científicos e outros, em Portugal e no estrangeiro. É professor de Educação Física na Escola Secundária Almeida Garrett, sendo que, atualmente exerce as funções de Chefe de Divisão Municipal da Divisão de Educação e Cultura da Câmara Municipal de Espinho.

É, ainda, treinador de Judo, com especial relevo no Desporto Escolar, embora não exercendo de momento, e de Futebol. Atualmente, para além de exercer, como supramencionado, as funções de Chefe de Divisão Municipal da Divisão de Educação e Cultura da Câmara Municipal de Espinho, exerce, ainda, as funções de Professor do ISCE Douro, Instituto Superior de Ciências Educativas do Douro, em Penafiel, de Presidente da direção da Associação dos Profissionais de Educação Física e Desporto do Porto e de Treinador Assistente de Futebol no Sporting Clube de Portugal – AFS de Aveiro.

Em 2016, foi-lhe concedido, pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, o Louvor n. 92/2016, tendo, ainda, nesse ano, sido distinguido, pelo Instituto Português do Desporto e Juventude – Direção Regional do Norte, com o ‘Reconhecimento Desportivo’, enquanto treinador. Em 2021, foi-lhe atribuído, pelo Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Fontes Pereira de Melo, o Louvor n. 299/2021, tendo, de igual modo, nesse ano, sido nomeado, pelo PNED e pelo IPDJ, I.P., Embaixador da ‘Ética no Desporto’ – Plano Nacional de Ética no Desporto. Em 2022, recebeu, por parte da Câmara Municipal de Paredes, o ‘Prémio Alto Prestígio’. É autor do Podcast ‘Rumo à Excelência – do Desporto para a Vida, com Ética’.

Redes sociais

LINKEDIN FACEBOOK INSTAGRAM

GALERIA | Fotos no exercício de funções diversas e judo

EDIÇÃO – Carlos Valentim Ribeiro | Judo Magazine

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *