19/07/2024

Catarina entre os homens da UEJ

Diretora desportiva e das atividades assume funções na Vice-Presidência

Catarina Rodrigues, uma ex-atleta com competências de gestão e organização desportiva

Catarina Rodrigues assume a vice-presidência da UEJ – União Europeia de Judo, instituição de supervisão do judo europeu que mantém um perfil anti-igualdade de género na sua composição.

Um clube masculino

Das 245 funções que a União Europeia de Judo estabelece para a sua organização interna apenas 19,6 % [48] são ocupadas por mulheres. Um clube masculino é o perfil dominante de uma instituição europeia que dirige uma modalidade desportiva, o judo, que se reclama da promoção de valores na sociedade de uma forma geral. 

Alguém acredita no chamado código moral ou neste discurso igualitário e solidário perante esta prática de discriminação das mulheres na orgânica do judo europeu? 

Senão vejamos: 

  • Nas funções dirigentes, de responsabilidade de direção temática apenas encontramos 3 mulheres, todas as restantes são ocupadas por homens; 
  • Existem domínios de atuação nos quais as mulheres nem sequer têm direito a uma representante: na estrutura de aconselhamento ao Presidente [3 homens e 0 mulheres], na Comissão da Polícia e Militares [16 homens e 0 mulheres], nos membros honorários [15 homens e 0 mulheres], na Comissão de Fair Play [2 homens e 0 mulheres] e na Comissão de pequenos estados [ 1 homem e 0 mulheres]. 
  • Nas comissões técnicas, das 40 funções previstas 32 são ocupadas por homens e apenas 8 por mulheres, sendo que em duas delas nenhuma mulher é envolvida, nos veteranos e nas graduações. 
  • Já nas áreas de produção/trabalho e de representação envolvendo 101 postos [Desportiva, computadores, treinadores, atletas, árbitros, marketing, media, live stream] dos 101 lugares estabelecidos 80 são ocupados por homens e 21 por mulheres. 
  •  Das funções desempenhadas por mulheres a maioria corresponde a atividades de ASSISTENTE ou de trabalho de produção técnica. Apenas duas áreas [ Comissão desportiva e katas] são dirigidas por mulheres, aliás por duas das 3 dirigentes referenciadas, Catarina Rodrigues e Kristiina Pekkola (sendo a terceira Urska Jugovar). 
  • Assim das 40 áreas de organização interna, 38 são dirigidas por homens e 2 por mulheres correspondendo a 5%. 
  • Nas duas áreas de atividade dirigidas por mulheres – Comissão desportiva e Katas – são os homens que prevalecem nas equipas [dos 26 da Comissão desportiva 22 são homens e apenas 4 mulheres] e nos katas [dos 10 membros, 7 são homens e 3 são mulheres]. 

Deste conjunto de dados quais são os mais escandalosos? 

Importa destacar a “quase provocação” ao judo feminino que é traduzida pela ausência de qualquer mulher nos Membros Honorários da UEJ. Excetuando os 6 presidentes, que são todos homens, nos restantes 9 membros, nem uma mulher tem presença. 

Noutro plano, em matéria de competências, surge como uma separação muito duvidosa a visão política e operacional que se encontra inscrita nas funções dirigentes de vice-presidente, com Otto Kneitinger e Sergei Aschwanden com um perfil político enquanto Catarina Rodrigues surge com um perfil tecnocrático e operacional. 

A ausência de mulheres na Comissão da Polícia e Militar [16 membros] revela bem o espírito “macho-guerreiro” que exclui as mulheres dos assuntos da tropa. Estas serão, à boa maneira do antigamente, matérias para homens. 

Todas as funções relevantes, Presidente, Vice-presidente institucional, Secretário-Geral, Tesoureiro, Arbitragem, Marketing, Desenvolvimento, são exercidas por homens enquanto as mulheres presentes na estrutura desempenham na sua maioria funções de Assistentes e de profissionais especializadas em domínios técnicos específicos. 

Portugueses na estrutura 

Os portugueses que desempenham funções na estrutura da UEJ – União Europeia de Judo são: 

  • Catarina Rodrigues, Vice-Presidente  
  • Filipa Cavalleri, membro da Comissão dos Direitos Humanos 
  • Sergiu Oleinic, Coordenador – Comissário desportivo 
  • Pedro Soares, Comissário – Comissão de Treinadores 
  • Nuno Carvalho, Comissário – Comissão de Arbitragem 
  • Carlos Ferreira, Fotógrafo – Média 
  • Carlos Ferreira, IT – Tecnologia 
  • Nuno Delgado, judo para os mais jovens 
  • Luís Monteiro, membro da Comissão Científica 
  • Marcos de Carvalho, membro da Comissão médica 

Fonte: site da UEJ

SOBRE O AUTOR | Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *