12/07/2024

JUDO CLUBE DE VIANA DO CASTELO | JUVIANA

ANUÁRIO DOS CLUBES 007

007 | JUDO CLUBE DE VIANA DO CASTELO – JUVIANA

O Judo Clube de Viana do Castelo – Juviana nasce legalmente em 08 de abril de 1976, fruto de um grupo de entusiastas e do seu percursor o treinador Júlio Neto. 

Entre a sua criação e o ano de 1980, o clube foi gerido como um grupo de amigos, sem cumprimento de regras e regulamentos. 

Com a participação democrática dos seus associados, que ultrapassaram mais de meia centenas de praticantes, divididos pelas várias actividades do Clube, o Judo, o Ballet, a Esgrima e o Karaté. 

Mercê desta vitalidade o Juviana foi ganhando espaço físico no Ex-BC9, que aquando a sua desactivação foi entregue ao Governo Civil e o então Governador Civil, Dr. Oliveira e Silva destinou-as a apoiar o movimento associativo, na utilização como sede para as associações culturais e desportivas do concelho, promovendo um desenvolvimento cultural e desportivo sem precedentes. 

Esta aquisição de sede e  instalações de treino, permite um desenvolvimento sustentado da sua actividade, promovendo variados contactos com outras realidades, quer na escola de Ballet, quer no Judo que elabora um protocolo com clubes de Judo da Galiza e organizam treinos conjuntos mensais, ora em Viana, ora em Tui ou Vigo, desta riqueza nascem atletas que se afirmam nos vários escalões nos Torneios e Campeonatos Nacionais. 

Por volta do ano de 1996, foi necessário entregar as instalações do Ex-BC9, para serem convertidas à actividade do Instituto Politécnico de Viana do Castelo. 

À entrega das instalações, não correspondeu, como seria expectável, um realojamento das actividades culturais e desportivas, que lá estavam sedeadas. Perante tal falta de alternativas, mais uma vez o Judo Clube de Viana se desestruturou, as actividades passaram a ser realizadas em diferentes locais, as sinergias não eram utilizadas em virtude desta pulverização, os interesses deixaram de ser os do clube e passaram a ser o de cada secção e actividade, o que produziu um desfasamento enorme entre os vários sectores do clube. 

Apesar do esforço realizado para manter vivo o clube e as suas secções, a verdade é que este perdeu poder de atracção pela dispersão geográfica das suas actividades e tornou-se permissiva, quer à actividade privada, no que ao Ballet se refere, quer a outras associações mais bem estruturada e melhor posicionadas perante o poder político, como aconteceu com a esgrima, vendo-se este clube sem sede, sem local de treino, despojado de algumas actividades e consequentemente em inexorável crise económico-financeira. 

Perante tal cenário, no ano de 1999, foi tomada a decisão de proceder a uma reformulação do clube e, conclui-se pelo regresso à primitiva forma, ou seja, um clube só de Judo, como escopro para assegurar a qualidade e a viabilidade económica do clube. 

Com esta decisão o Judo Clube de Viana do Castelo, dedicou-se de alma e coração ao Judo, modalidade onde era pioneiro no distrito e o seu clube o mais antigo. 

De realçar, que este clube, sempre procurou a excelência, o conhecimento e a partilha e encontrou-a na aprendizagem com um dos mais carismáticos e exímios executante e conhecedor do Judo, o Mestre Frigyes Torok, a quem devemos muitos e valiosos ensinamentos, e um dos Mestres de referência do ensino do Judo em Portugal. 

Este clube promove a prática do Judo, o ensino da modalidade respeitando a sua cultura, a sua ancestralidade e a sua técnica, com métodos pedagógicos e didáctica adequados, promovendo o benefício mútuo, a saúde, o bem- estar, a verdade, a competência e o respeito do atleta, na sua integridade e integralidade. 

O Judo Clube de Viana do Castelo é um clube independente, que assume a sua liberdade de escolha dos seus parceiros, dos seus colaboradores e dos seus projectos. 

Assim, o clube aventurou-se por várias frentes de batalha, ensinar Judo, aprender Judo, capacitar os seus atletas, como desportistas, como treinadores e como cidadãos, e afirmar o clube como parceiro social com a Câmara Municipal, as diversas Associações de cultura, de desporto, de assistência, o que tem feito e pacificamente aceite como uma mais valia. 

No plano desportivo, o palmarés do Clube, passa por várias classificações Nacionais em vários escalões, de que a última foi a conquista do título no prestigiado Torneio Kiyoshi Kobayachi  no ano de 2019.  

A estas juntam-se várias participações e medalhas no Campeonato do Mundo, Campeonato da Europa, Campeonato Nacional e em Torneios Internacionais de Veteranos, o que temos feito por vários países, levando sempre a bandeira de Portugal e de Viana do Castelo, Croácia, Escócia, Espanha, França, Holanda, Hungria, Itália, Marrocos, República Checa.  

A Federação Portuguesa de Judo concedeu a dois atletas a medalha de Mérito Desportivo e alguns Diplomas de Mérito a atletas de deste Clube. 

Em cinco Galas do Desporto promovidas pela Câmara Municipal, este clube esteve sempre presente em todas e recebeu individualmente com 12 Troféus e colectivamente com 5 menções de homenagens ao clube. 

O Judo Clube de Viana do Castelo, foi eleito pelos seus pares para integrar o Conselho Municipal do Desporto. 

Agora, trata-se de expandir o clube, possuímos 8 treinadores e 2 a terminar o respectivo curso. Portanto é tempo de ser alternativa credível e implementar a filosofia do clube, o valor do colectivo, onde todos contam e são importantes, a competência técnica e o saber. 

A nossa estratégia de intervenção já está delineada, iremos contactar todas as Câmaras do Distrito e apresentar uma nova proposta e perspectiva de ensino, baseada em valores, com capacidade de mensuração e sustentabilidade, com objectivos próprios e precisos educacionais, de respeito pelo atleta no seu desenvolvimento global e na ajuda ao combate das autarquias contra o abandono do exercício físico, da obesidade e do bulliying. 

Esta é a imagem do Judo Clube de Viana do Castelo, um clube de Judo, com treinadores capazes, detentores de conhecimentos multidisciplinares que presta serviços relevantes à população na área da educação física, desporto e cidadania, sem fins lucrativos, mas com benefício mútuo.  

Quarenta e cinco anos, de existência não se apagam, celebram-se e projecta-se o futuro que co-construiremos.