ENTREVISTA JM | Os clubes desportivos carecem de medidas de apoio suplementares

@ JUDO Magazine | Entrevista | José Manuel Constantino – Presidente do Comité Olímpico de Portugal

O Comité Olímpico de Portugal está atento às diversas movimentações que se verificam no desporto nacional neste período particularmente crítico provocado pela pandemia de COVID-19. Nestas condições peculiares os governantes têm que tomar medidas excepcionais no campo orçamental para assegurarem a normalidade possível na economia, na educação e inevitável e prioritariamente na saúde. Mas setores como a cultura e o desporto não podem ser relegados para segundo plano porque as funções que desempenham na sociedade prendem-se com a coesão social, matéria central na construção das solidariedades que os tempos atuais colocam ao mesmo nível que as tarefas de sobrevivência.

Solicitámos ao COP uma abordagem sintética sobre estes pontos de preocupação do judo nacional e o Presidente José Manuel Constantino adiantou-nos:

1 – Numa comunicação que o COP dirigiu à Secretaria de Estado da Juventude e Desporto foi constatada a ausência de apoios específicos ao Desporto no pacote de apoios suplementares do Governo da República, relacionados com a situação criada pela pandemia de COVID-19. Na opinião do COP a situação criada vai trazer consequências negativas nos objetivos das futuras representações em Jogos Olímpicos, em Tóquio e eventualmente nas seguintes?

José Manuel Constantino (JMC) – O problema não são os Jogos de Tóquio mas as bases da sustentação desportiva nacional – os clubes desportivos -, os quais carecem de medidas de apoio suplementares.

2 – A ausência de medidas de apoio específicas aos CLUBES, principalmente todos aqueles que têm profissionais ao seu serviço e que não estão a ter receitas, vai ter impacto na preparação dos atletas que ainda não integram o projeto olímpico mas poderão vir a íntegra-lo?

JMC – Sim….não ajudará designadamente aqueles clubes que têm  atletas envolvidos em processos de preparação olímpica.

3 – O receio que Tóquio 2020 venha a ser adiado ou cancelado, por razões de agravamento da pandemia a nível global, está presente no estado de espírito de todos os protagonistas do processo olímpico, apesar de ser admitido de forma muito remota. Está previsto algum Plano B por parte do COI e CO de Portugal tem pensadas iniciativas de compensação caso tal venha a acontecer’

JMC – Se os Jogos forem cancelados é porque não existem condições sanitárias seguras para que ocorram competições, pelo não acreditamos que exista qualquer outra alternativa.

© foto cedida por COP| Editada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *