Bronze com ouro dentro

O DIA-A-DIA DOS JOGOS | Tóquio2020 – Jorge Fonseca

Quando Cho (KOR) projectou, de forma parcial, trememos todos. Não estava nas previsões e Neil Adams levava aos limites a nossa hiper-confiança, com os seus comentários empolgantes. Estávamos a ser guiados para a apoteose que tardava a chegar. Mas Cho aguentou firme e controlou as últimas investidas de Jorge Fonseca, este já sem grandes hipóteses de alterar o rumo do combate: agora era preciso ir à procura do bronze.

O sinal veio de Pedro Soares. Imediatamente a seguir aos pés de Jorge terem pousado em terra firma no corredor junto à área de competição. Fonseca vinha para o lamento e para a raiva associadas à derrota com o coreano e preparava-se para mergulhar a cabeça na concha das mãos para ocultar o choro. Mas Soares não lhe deu um segundo e impôs uma atitude de “olhar para frente” sem pestanejar, sem hesitar e pôs-se em andamento ritmado, firme, quase militar galgando corredor fora.

Como se ganham medalhas?

Seria pretensioso afirmar que foi naquele momento que Jorge Fonseca ganhou a Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio2020. O combate com o seu opositor canadiano, para a medalha de bronze, já se inscreveu num registo de quase fatalidade positiva de uma medalha porque o trabalho para tal já tinha sido realizado na fase anterior de preparação. Vencer o canadiano, ou outro adversário naquelas circunstâncias, era totalmente possível desde que todas as variáveis estivessem presentes na carga de combate, inclusive a da gestão de uma hipotética derrota de percurso.

Não se ganham medalhas sozinhos! Jorge Fonseca não se posicionou no campo do herói solitário, antes pelo contrário, o abraço que deu a Pedro Soares, depois da vitória sobre Elnahas, teve uma intensidade de sagração de dupla vencedora.

Inteligência coletiva

O percurso na prova que começou com o combate contra Nikiforov (BEL) foi firme até à meia-final contra o atleta coreano que foi Campeão do Mundo no passado. Iliasov (ROC) foi osso duro de roer como era previsível, mas os argumentos de Fonseca foram superiores. Na vitória sobre o canadiano ficou consolidado um perfil de campeão que vale pelo seu caráter e pelo modo explosivo de combater, mas também pela atitude disciplinada e equilibrada que resulta de um processo de inteligência coletiva co-construída numa equipa que, essa sim, é bronze e de OURO também.

Fonseca e Pedro Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *