CLUBE RJ – Desejo que aquilo que aprendemos em 2020 nos torne mais fortes em 2021

JUDO MAGAZINE | 3 de janeiro 2021 | Clube de Jovens Repórteres do Judo | Ana Rita Loureiro

Estamos habituados a que os Jovens Repórteres do Judo nos transmitam, através das suas comunicações, o estado de espírito e até as emoções que os mais jovens praticantes vivem quando relatam acontecimentos e situações que ocorrem na prática da modalidade. A Ana Rita não foge à regra dos seus pares ao escrever sobre as despedidas de 2020 e propõe-nos um balanço justo, generoso para com as adversidades, sugerindo-nos implicitamente, através da sua escrita empolgante, um contrato de resiliência para o futuro que não podemos enjeitar.

Adeus 2020, seja bem-vindo 2021

por Ana Rita Loureiro *, judoca de Aveiro – Associação 4Judo

2020 foi um ano que fez parar o mundo. A pandemia marcou-nos e marcou as nossas famílias e amigos. De um momento para o outro, vimo-nos obrigados a adaptar toda a nossa vida e rotinas e a refletir sobre as consequências dos nossos comportamentos e atitudes. Mas se há algo que nunca parou, foi o Judo.

Durante a quarentena fomos afastados do tatami e dos treinos presenciais, mas nem isso nos impediu de treinar, com sessões online e outras atividades. Arranjámos maneira de nos manter sempre ativos.

O dobro da vontade

Logo que surgiu oportunidade de voltar a treinar presencialmente, foram implementadas as devidas regras de segurança para que aquele objetivo fosse possível.

Acho que falo por todos, quando digo que custou muito ficar afastada do tatami durante tanto tempo, no entanto, todo este tempo fez com que voltasse com o dobro da vontade de trabalhar e com ainda mais orgulho de fazer parte desta grande comunidade que é o Judo.

Conseguimos sempre dar a volta por cima, apesar do abalo, não foram uns meses fechados em casa que nos impediram de continuar a treinar e a esforçarmo-nos para sermos cada vez melhores.

Mais solidários, generosos, mais fortes

Na verdade, considero que este ano que passou nos fez a todos crescer, enquanto pessoas, equipa e judocas, tornou-nos mais solidários, generosos, mais fortes e apesar da distância física, a proximidade, a outros níveis, tornou-se mais forte.

Por isso, recordemos este ano não apenas pelos aspetos negativos que o marcaram, mas pela transformação que conseguiu operar nos seres humanos. Acho que todos nos tornámos melhores pessoas, pois descobrimos que não só em Portugal mas em todo o mundo todos sofremos os mesmos males e só juntos e em equipa podemos vencer este inimigo comum que nos aflige a todos.

Esperança, proximidade e união

Desejo que aquilo que aprendemos em 2020 nos torne a todos mais fortes em 2021, que possamos voltar a treinar sem qualquer restrição e retomar as competições que tanto nos entusiasmam. Que, ao longo de 2021, possamos unir esforços para tornar este novo ano num período de esperança, proximidade e união.

As maiores felicidades para todos em 2021!

  • A Ana Rita Loureiro é membro do Clube dos Jovens Repórteres do Judo, tem 16 anos e pratica judo na 4Judo em Aveiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *